Você está aqui: Página Inicial / Economia / Há mais celulares que habitantes

Economia

Telecomunicação

Há mais celulares que habitantes

por Agência Brasil publicado 19/10/2011 11h26, última modificação 19/10/2011 11h27
No Brasil, 20 estados e o Distrito Federal já têm mais de uma linha de telefone celular habilitada por habitante, segundo a Anatel

Por Sabrina Craide*

Junto com o Distrito Federal, dos 26 estados brasileiros, 20 já têm mais de uma linha de telefone celular habilitada por habitante, segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Atualmente, o Brasil tem 116,5 linhas habilitadas para cada grupo de 100 pessoas.

Em setembro, Paraíba e Roraima registraram mais de um acesso em serviço móvel por habitante e se juntaram a 19 unidades da federação que já ultrapassaram a marca de mais de um celular por habitante. O Distrito Federal é a que registra a maior relação: 198,77 linhas para cada 100 habitantes, quase duas linhas por morador da capital. A maior teledensidade por área de registro está na área 71, cuja principal cidade é Salvador, com 180,51 acessos por grupo de 100 habitantes.

Também estão no grupo São Paulo, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, Goiás, Rio Grande do Sul, Rondônia, Mato Grosso, Pernambuco, Espírito Santo, Santa Catarina, Amapá, Paraná, Rio Grande do Norte, Tocantins, Sergipe, Minas Gerais, Amazonas e Acre.

O número de linhas de celulares habilitadas no país chegou a 227,4 milhões em setembro. Nos primeiros nove meses do ano, o serviço de telefonia móvel registrou 24,4 milhões de novas habilitações, o que representa um crescimento de 12,03% no ano. Em setembro, foram mais de 3,3 milhões de novas habilitações, com crescimento de 1,49% em relação a agosto.

Do total de acessos em operação no país, a maioria (81,64%) é de telefones pré-pagos, enquanto os pós-pagos representam 18,36%. Os terminais de terceira geração (3G) totalizaram em setembro 34,5 milhões de acessos, crescimento de 67,19% no ano.

A operadora Vivo lidera o mercado brasileiro com 29,49% de participação, seguida por TIM (26,04%), Claro (25,3%), Oi (18,84%), CTBC (0,3%) e Sercomtel, com 0,03%.

*Matéria publicada originalmente na Agência Brasil