Você está aqui: Página Inicial / Diálogos Capitais / "Maioria das obras será entregue antes da Copa"

Diálogos Capitais

Fórum Brasil

"Maioria das obras será entregue antes da Copa"

por Rafael Nardini — publicado 19/03/2014 04h40, última modificação 19/03/2014 08h54
Segundo número 2 do Ministério do Esporte, Luis Fernandes, os projetos que não saírem do papel serão absorvidos pelo PAC Mobilidade
André Luy
Luis Fernandes

Luis Fernandes, secretário executivo do Ministério do Turismo, ao microfone, participa do evento Fórum Brasil, de CartaCapital

O secretário executivo do Ministério do Esporte, Luis Fernandes, afirmou que a “esmagadora maioria” das 95 obras de infraestrutura e mobilidade urbana planejadas para a realização da Copa do Mundo serão entregues antes do pontapé inicial do jogo de abertura, na Arena Corinthians, no dia 12 de junho. “O período de entrega principal é esse agora, justamente nesses meses que antecedem o início do torneio”.

Os projetos que não saírem do papel ou não conseguirem ser concluídos antes de Neymar, Messi e companhia entrarem em campo deverão ser absorvidos pelo PAC Mobilidade.

Para Fernandes, a mídia "atrapalha" a visão de parte da população sobre a realização do evento e o custo, orçado hoje em 25,6 bilhões de reais, deveria ser visto como um investimento, que, segundo ele, terá retorno. Desse montante total – que inclui recursos das três esferas de governo e da iniciativa privada -, 8 bilhões de reais, segundo dados oficiais, foram aplicados na construção ou readequação dos estádios espalhados pelas cidades-sede.

Mesmo admitindo o não complemento de parte das obras estruturais para as cidades brasileiras que receberão as partidas, as arenas são, no momento, o principal foco de preocupação ministerial. “Os estádios do Corinthians e o de Curtiba devem ser entregues até o final de abril. Essas (obras) interferem diretamente na realização do evento”. 

Perguntado sobre qual é a grande obra de mobilidade que a Copa do Mundo vai deixar para a população, o secretário afirmou: “É difícil dizer. Há necessidades diferenciadas conforme a situação de cada cidade-sede. Uma que destaco é a Transcarioca. Vamos poder, pela primeira vez, chegar com transporte público ao aeroporto em uma cidade da importância do Rio de Janeiro”.

Outro legado, de acordo com ele, é “a parte que vai ficar pronta do aeroporto de Brasília. Um investimento muito significativo”.

registrado em: ,