Você está aqui: Página Inicial / Diálogos Capitais / Lacerda: "Redução da tarifa de ônibus é demagogia"

Diálogos Capitais

Metrópoles Brasileiras - Mobilidade

Lacerda: "Redução da tarifa de ônibus é demagogia"

por Vanessa Perroni Carvalho — publicado 29/08/2014 20h29
Em evento de CartaCapital, o prefeito de Belo Horizonte afirmou ainda que "serão investidos 24 bilhões de reais em mobilidade até 2030"
Omar Freire
Marcio Lacerda

Prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda, na abertura do evento "Metrópoles Brasileiras - o Futuro Planejado, realizado em Belo Horizonte nesta sexta-feira, 29

Com o valor das tarifas do transporte público em pauta desde as manifestações de junho do ano passado, o prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda, prometeu um investimento de R$ 43 bilhões em diversos setores até 2030, sendo que R$ 24 bilhões serão destinados para a mobilidade urbana para solucionar os problemas em Belo Horizonte.

Na abertura do evento Diálogos Capitais - Metrópoles Brasileiras - O Futuro Planejado, promovido por CartaCapital e realizado nesta sexta-feira, 29, em Belo Horizonte, Lacerda adiantou que existe um planejamento para estender o sistema de corredores de ônibus (MOVE), em 160 km, e o metrô em 60 km até 2020.

Quanto à tarifa do transporte público, Lacerda disse que a Frente de Prefeitos defende a aprovação no Congresso do regime especial de impostos para o transporte público, de forma que toda cadeia produtiva seja isenta de impostos. O prefeito de Belo Horizonte, afirma que as empresas já custeiam 40% das passagens com vale-transporte, e existe uma parcela da população que pode pagar a tarifa. "O problema maior é a população que não tem renda para pagar a tarifa e nem o vale-transporte. Portanto, a redução geral do valor é demagogia e injustiça. Nós precisamos de subsídio real para quem precisa", exclamou.

"Sem planejamento urbano adequado não vamos atenuar os problemas da mobilidade", defendeu o prefeito, que afirmou que os protestos colocaram o assunto em pauta permanente na Frente Nacional de Prefeitos. "Montamos um documento que será entregue aos presidenciáveis com as demandas e sugestões dos cidadãos no setor da mobilidade, dentre outros", afirmou.

Lacerda disse que está sendo elaborado um projeto de lei, por parte de prefeitos, a ser enviado para a Câmara de Vereadores, que contempla as questões de mobilidade e o enfrentamento com o setor empresarial. "Queremos fazer uma mudança dentro do marco legal, e com um diálogo aberto com a sociedade para beneficiarmos o maior número de pessoas", ressaltou.