Você está aqui: Página Inicial / Diálogos Capitais / Diálogos Capitais: cinema nordestino em debate às 19h

Diálogos Capitais

Diálogos Capitais

Diálogos Capitais: cinema nordestino em debate às 19h

por Redação — publicado 02/10/2013 09h29, última modificação 08/10/2013 14h52
Nesta 3ª os cineastas Halder Gomes e Claudio Assis debatem o audiovisual brasileiro e o desafio de se fazer cinema no nordeste. Com transmissão ao vivo aqui no site
Divulgação
Febre do Rato

Cena de Febre do Rato, de Claudio Assis

O cineasta cearense Halder Gomes e o pernambucano Claudio Assis participam nesta terça-feira às 19h de um bate-papo sobre “O Novo Cinema Nordestino”. A conversa será na livraria Saraiva, do Shopping Riomar, em Recife, e o debate faz parte do projeto Diálogos Capitais, uma parceria entre a revista CartaCapital e a livraria Saraiva. A mediação será do editor de Projetos Especiais da CartaCapital, Paulo Mota, e a conversa entre os cineastas será transmitida ao vivo na home do site da revista.

Halder Gomes é diretor de Cine Holiúdy, um filme de baixo orçamento que se transformou em um fenômeno de audiência. Nos 15 primeiros dias de exibição, em apenas 13 salas de cinema em Fortaleza, o filme, que é todo falado em “cearencês” legendado, alcançou a marca dos 100 mil expectadores, figurando entre os dez mais vistos no país.

Antes de dirigir “Cine Holiúdy”, Gomes trabalhou em várias produções em Los Angeles, nos Estados Unidos. De volta ao Ceará, foi diretor ou co-diretor de Área Q, Bezerra de Menezes, Diário de um espírito e As Mães de Chico Xavier.

Nascido em Caruaru (PE), o cineasta Claudio Assis iniciou sua carreira como ator e cineclubista em sua cidade. Desde seu primeiro longa-metragem Amarelo Manga, em 2002, já demarcava seu estilo próprio de fazer cinema, sempre incluindo em seus filmes elementos da cultura pernambucana. O filme foi premiado nos Festivais de Berlim, Toulouse e Havana. No Festival de Brasília, venceu 7 prêmios, incluindo o de melhor filme pelo júri oficial. No Cine Ceará, vence todos os prêmios, e ganha notoriedade no cinema nacional.

Quatro anos depois, seu segundo longa-metragem, Baixio das Bestas (2006), foi consagrado como o primeiro filme brasileiro a vencer o Tiger Award no Festival de Roterdã. Febre do Rato, seu terceiro longa-metragem, venceu oito prêmios no Festival de Paulínia, incluindo o de melhor filme pelo júri oficial.

O Shopping Riomar Recife, onde acontece o evento, fica na Avenida República do Líbano, número 521.