Você está aqui: Página Inicial / Cultura / Lula, Dilma e Aécio lamentam morte de Ariano Suassuna

Cultura

Memória

Lula, Dilma e Aécio lamentam morte de Ariano Suassuna

por Redação — publicado 23/07/2014 22h23, última modificação 24/07/2014 09h20
Autor de “Auto da Compadecida” faleceu no Recife após sofrer um acidente vascular cerebral hemorrágico aos 87 anos
Reprodução/Twitter
Dilma lamenta morte de Suassuna

Para Dilma, o Brasil perdeu “uma grande referência cultural”

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a presidenta Dilma Rousseff e o candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, lamentaram, na noite desta quarta-feira 23, a morte do escritor Ariano Suassuna. Um dos principais nomes da cultura nordestina, o autor de “Auto da Compadecida” faleceu no Recife, capital pernambucana, após sofrer um acidente vascular cerebral hemorrágico aos 87 anos.

Por meio de nota, Lula disse que Suassuna “nunca se esqueceu que era um homem do povo” e "fez muito pelo povo brasileiro através de suas palavras”. Além disso, segundo o ex-presidente, o escritor “representou com coerência e grandeza a cultura do nordeste e do País”.

“É imensa a tristeza de receber a notícia de que um amigo tão querido como Ariano Suassuna nos deixou. Este paraibano de língua afiada, alma solidária, escrita ao mesmo tempo simples e profunda sempre nos honrou com sua amizade. Ariano fez muito pelo povo brasileiro através de suas palavras, sabedoria popular e compromisso político. Um escritor premiado e reconhecido, que nunca se esqueceu que era um homem do povo”, disse o comunicado que termina enaltecendo o papel militante do pernambucano. “Como escritor e como militante das causas populares, Suassuna continuará vivo em nossos corações”, concluiu o texto.

No Twitter, a presidenta Dilma disse que o Brasil perdeu “uma grande referência cultural” e argumentou que a obra do escritor é essencial para a compressão do Brasil. “Suassuana foi capaz de traduzir a alma, a tradição e as contradições nordestinas em livros como Auto da Compadecida e A Pedra do Reino. A obra de Suassuna é essencial para a compreensão do Brasil. Guardo comigo ótimas recordações de nossos encontros e das suas histórias”, afirmou no microblog.

Aécio Neves também elogiou a importância do escritor para a história cultural brasileira. “Ariano Suassuna foi antes de tudo um homem apaixonado pelo Brasil. Um homem raro, a quem devemos profunda admiração. Meus sentimentos!”, escreveu em seu perfil na rede social.