Você está aqui: Página Inicial / Cultura / Bravo! / O bardo em campanha

Cultura

Teatro

O bardo em campanha

por Alvaro Machado — publicado 20/04/2016 12h59, última modificação 23/04/2016 11h42
Comemoração dos 400 anos da morte de Shakespeare importa talentos em campanha promovida pelo governo britânico
Divulgação
Greg Hicks

O ator Greg Hicks, há 40 anos integrante da Royal Shakespeare Company

Os 400 anos de morte do bardo inglês reverberam intercâmbio internacional em três capitais brasileiras, parte da campanha global Shakespeare Lives, promovida pelo governo britânico.

Para uma direção de Macbeth com elenco local de nove escolhidos entre 650 atores inscritos, São Paulo recebe o ator Greg Hicks, há 40 anos integrante da Royal Shakespeare Company, experimentador de movimentos de capoeira e de butô em suas montagens e premiado por um afamado Coriolano londrino em 2002.

Em concomitância, três professores da Universidade Queen Mary, de Londres, oferecem oficinas sobre o autor de Hamlet. No dia da morte do poeta, 23 de abril, conferência com diretores locais e estrangeiros acontece das 10h às 17h, com uma parada para almoço.

Fórum Shakespeare. Centro Cultural Banco do Brasil (SP, BH, RJ), de 20 de abril a 29 de maio. CCBB-BH, de 12 a 22 de maio. CCBB-RJ, de 20 a 29 de maio.

   O propósito maior nessa reunião de artistas e catedráticos é “discutir o quanto  as questões levantadas pelo dramaturgo há centenas de anos ainda nos tocam e dialogam com nossos dias”, segundo o curador Paul Heritage.

Comparecem os escritores britânicos Jerry Brotton, autor do recente Shakespeare e o Islã, Joad Raymond, especialista nos séculos 16 e 17, bem como em jornalismo e lobybying, e, ainda, Catherine Silverstone, autora de livro sobre o poeta em conexão com a cultura queer e a discussão contemporânea sobre gêneros sexuais.

No CCBB-SP, Macbeth é encenado de 20 a 25 de abril. No CCBB-BH, O Mercador de Veneza, com direção de Catherine Paskell, é levado  de 12 a 22 de maio. No CCBB-RJ, A Tempestade, com concepção de Vik Sivalingam, de 20 a 29 de maio. Como no Macbeth a ser visto em São Paulo, eles recrutam elencos locais para a empreitada.

O ator Greg Hicks, há 40 anos integrante da Royal Shakespeare Company

Catherine Paskell deve emprestar ao Mercador um enfoque de teatro político que caracteriza sua atuação na Dirty Protest Theatre, cia. conhecido por trabalhar a questão das identidades minoritárias galesa e céltica no Reino Unido.

Vik Sivalingam, diretor negro formado na Universidade de Londres, é reputado entre os melhores pedagogos da interpretação shakesperiana na atualidade e foi diretor-assistente da Royal Shakespeare entre 2008 e 2011.