Você está aqui: Página Inicial / Blogs / SPeriferia / “Racismo não. Aranha, tamo junto”, proclamam artistas em apoio ao goleiro

Sociedade

Preconceito

“Racismo não. Aranha, tamo junto”, proclamam artistas em apoio ao goleiro

por Joseh Silva — publicado 24/09/2014 18h24
Diz uma frase bem conhecida de Malcom X: “Se você não cuidar, os jornais farão você odiar as pessoas que estão sendo oprimidas, e amar as pessoas que estão oprimindo”
Divulgação
Aranha: solidariedade de músicos e artistas

Aranha: solidariedade de músicos e artistas

“Sou professor universitário, sou poeta. Na luta contra o racismo brasileiro eu queria dizer: Aranha, você não está sozinho, tamo junto!” Nelson Maca.


“Sou cineasta e poeta. Nessa luta contra o racismo, venho dizer que o Aranha não está sozinho”. Akins Kintê.


“Sou funcionário público e músico e vim dizer que o Aranha não está sozinho nesta”. Junior Caldeira.


“MC, Poeta, e arte-educador. Aí, Aranha, você não está sozinho nessa não, firmeza, irmão”. Fino do Rap.


“Sou estudante e eu queria falar para ao Aranha que ele não está sozinho”. Davi Pacifico.


"Sou músico, poeta, escritor e educador. Eu sou contra o racismo não apenas no futebol, mas em toda a sociedade. Aí, Aranha, tamo junto, irmão. Muita força, guerreiro". Dugueto Shabazz.


“Sou articulador cultural e contra qualquer tipo de racismo. Suor não tem cor, tá ligado? Aranha, estou junto com você, irmão”. Alex Barcellos.

“Sou músico e eu tô na luta contra o racismo estruturado na nossa sociedade. Estou junto com o Aranha e todos aqueles que têm que enfrentar isso no seu dia a dia”. Eduardo Brechó.

Não sou muito de acompanhar assuntos polêmicos, principalmente ligados ao futebol. No entanto, o que a mídia vem fazendo é um constante esforço para diminuir, suavizar e relativizar o que aconteceu com o goleiro do Santos, Aranha. E isso caminha para uma área muito perigosa: o fortalecimento mundial do preconceito racial.

Diante desse contexto, o que me chamou a atenção foram alguns vídeos gravados por diversas pessoas apoiando e fortalecendo a postura do jogador. Óbvio que isso já aconteceu em outras situações, no entanto, o fato de pessoas gravarem suas opiniões, revelarem falas que por muito tempo foram editadas pela mídia nativa, mostra que as formas de comunicação estão sendo mais bem exploradas.

As pessoas estão percebendo que simplesmente apertar o play do celular, pode colaborar e marcar posição em causas importantes. Isso é ameaçador para a grande mídia? Depende da proporção que determinados fatos e assuntos podem atingir; e isso pode incomodar bastante a “imparcialidade” de alguns veículos de comunicação (manipulação).

A torcedora que fez questão de gritar "macaco" para Aranha, pausadamente, vem sendo, sorrateiramente, preservada pela mídia. Sua atitude é minimizada a cada dia e sua vitimização já não é tão absurda. Sim, o goleiro que pode ficar com a medalha de manhoso e exagerou nas reclamações.

Neste contexto, cabe uma frase bem conhecida do líder Malcom X: “Se você não cuidar, os jornais farão você odiar as pessoas que estão sendo oprimidas, e amar as pessoas que estão oprimindo”.

registrado em: , ,