Você está aqui: Página Inicial / Blogs / QI / Nirlando Beirão / Na série 'The Leftovers', o vazio da ausência do outro

Cultura

TV

Na série 'The Leftovers', o vazio da ausência do outro

por Nirlando Beirão publicado 06/07/2014 09h29, última modificação 07/07/2014 13h20
Produção de Damon Lindelof expõe o fato de que, quando alguém se esconde ou muda de identidade, você também acaba perdendo muito da sua
Divulgação
The Leftlovers

The Leftlovers, da HBO: abduzidos pela própria vida

Em Dr. Pasavento, o catalão Enrique Vila-Matas introduz um escritor que, a caminho de uma palestra em Sevilha, decide sumir do mapa, esfumaçar-se na neblina do presente, não ser ninguém. Explora a fantasia primária, pueril, mas universal, primordial, de desaparecer do mundo quando alguém se vê à frente de um mar de problemas. E faz um perspicaz contraponto a esta época de selfies, instagrams, Facebook e de superexposição instantânea e solúvel.

Assim como Andrés Pasavento, milhões e milhões de pessoas vão até a esquina comprar fósforos e se extraviam para todo o sempre. Damon Lindelof, o qual, como cocriador do seriado Lost (Perdido), indica prévio interesse pelo tema, imagina uma ficção em que 2% da humanidade vai saindo de cena, em circunstâncias súbitas e enigmáticas. Desaparecem os costumeiros desviados da vida, mas também recém-nascidos, pais extremosos, celebridades de sucesso e até Sua Santidade, o papa.

O novo seriado de Lindelof chama-se The Leftovers (aos domingos, 23h, na HBO), estreou esta semana e terá dez episódios. Não esperem por artimanhas dramatúrgicas como seres humanos abduzidos por óvnis ou que ingressem em outras dimensões. O insight da série é: quando alguém que está a seu lado se ausenta, se esconde, muda de identidade, você também acaba perdendo muito da sua.

Quem está estreando esta semana é Pedro Bial, com sua terceira versão de Na Moral (às quintas, 23h40, Globo). Os sete episódios de Na Moral prometem ser “um palco de debates”. Difícil acreditar: opiniões plurais na Globo e com ruidoso auditório ao fundo. Bial é o avesso do Andrés Pasavento: quando sumido, fica louquinho para aparecer.

registrado em: