Você está aqui: Página Inicial / Blogs / Parlatório / Na TV, PT tenta atrair esquerda e classes populares

Política

Programa político

Na TV, PT tenta atrair esquerda e classes populares

por Redação — publicado 05/05/2015 16h38, última modificação 06/05/2015 10h17
Realizações para os mais pobres e pauta progressista ganham espaço no programa que vai ao ar nesta terça-feira
Reprodução
Programa do PT na TV

Assuntos como terceirização, imposto sobre grandes fortunas, igualdade de gênero e redução da maioridade penal ganham espaço no programa do partido na TV

O PT exibiu nesta terça-feira 5, às 20h30, em rede nacional, uma propaganda política que busca reaproximação com a esquerda e as classes mais baixas, beneficiadas pelos programas sociais implementados pelo partido desde 2003. Na peça publicitária, o ex-presidente Lula assume o protagonismo, fala das conquistas dos direitos trabalhistas e critica com ênfase, por exemplo, a aprovação do projeto de lei 4.330/04, que regulamenta a terceirização para qualquer serviço, inclusive atividade-fim. Houve 'panelaços' durante a exibição da propaganda na TV.

“Tudo que os trabalhadores têm hoje foi duramente conquistado ao longo de gerações. Por isso, não podemos permitir que essa história ande para trás. E é isso que vai acontecer se for aprovado o projeto de lei 4.330, o projeto da terceirização que passou pela Câmara dos Deputados", diz o ex-presidente. "Esse projeto faz o Brasil retornar ao que era no século passado. Voltar a um tempo em que o trabalhador era um cidadão de terceira classe. Nós não vão permitir esse retrocesso”, afirma.

A inserção também dá grande destaque a bandeiras progressistas, abandonadas pela legenda ao longo dos últimos anos. Em um dos momentos, o apresentador opõe “conquistas” do passado com a “nova luta” e surgem faixas com dizeres pela igualdade de gênero e contra a redução da maioridade penal, outro assunto em debate no Congresso. CartaCapital apurou, recentemente, que levantamentos internos do PT mostram ser considerável a sensação de que houve “estelionato eleitoral” nos redutos petistas, depois da reeleição da presidente Dilma Rousseff. No segundo turno das eleições presidenciais, o apoio de movimentos sociais e grupos de esquerda foi considerado essencial para a vitória da petista sobre Aécio Neves (PSDB).

A propaganda ainda dialoga diretamente com as classes populares, responsáveis maiores pelas vitórias do PT nas eleições presidenciais em 2006, 2010 e 2014. Na voz do ex-presidente Lula, o programa cita a valorização do salário mínimo, o crédito consignado e a criação de 22 milhões de empregos. "A principal marca desses 12 anos do governo do PT foi a conquista de uma vida melhor para os trabalhadores", destaca o ex-presidente. 

Pesquisa Datafolha de abril mostrou que, entre os eleitores com renda familiar de até dois salários mínimos, a porcentagem dos que avaliam o governo Dilma Rousseff como ruim ou péssimo era de 57%. No grupo com renda entre 2 e 5 salários mínimos, era de 62%. Uma semana antes do segundo turno das eleições de 2014, esses patamares estavam em 15% e 20%, respectivamente.

O vídeo também fala dos principais programas do partido, como o Minha Casa, Minha Vida, o ProUni e o Mais Médicos. Apesar de defender o reajuste fiscal de Dilma, em comparação com a política econômica do governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB), a peça ainda procura separar o partido do governo. “No ajuste econômico que o governo tem feito agora, o PT tem defendido que não se corte direitos trabalhistas”, diz o apresentador.

Assista na íntegra: