Você está aqui: Página Inicial / Blogs / Parlatório / Marcha da Maconha mobiliza 31 cidades pela legalização do plantio

Sociedade

Drogas

Marcha da Maconha mobiliza 31 cidades pela legalização do plantio

por Redação — publicado 12/05/2015 05h50
Coletivo frisa que legalização deve abranger “os mais variados fins, do uso medicinal ao recreativo”
Marcha da Maconha em Ipanema

Segundo a PM, 2 mil pessoas pediram a legalização das drogas em Ipanema dia 9

Depois de o Rio de Janeiro levar 2 mil pessoas às ruas pela legalização da maconha no último sábado 9, 31 cidades planejam marchar em favor da legalização do plantio da erva, proibido no Brasil. Movimento social autônomo, a Marcha da Maconha organiza passeatas desde 2007 sem lideranças e hierarquias, no modelo de gestão horizontal popularizado pelo Movimento Passe Livre (MPL) nas manifestações de junho de 2013.

Neste ano, o grupo frisa em seu blog, site e página no Facebook que o protesto irá "exigir a legalização da produção, circulação e uso da cannabis no Brasil". A intenção é garantir que a discussão não se restrinja à regulamentação da produção medicinal. "Não marchamos pelo CBD, THC ou qualquer outra sigla que interesse à Indústria Farmacêutica e seus lucros exorbitantes", diz o manifesto. "Queremos a legalização da maconha por completo e para seus mais variados fins, do uso medicinal ao recreativo. Não daremos nenhum passo atrás."

De acordo com os ativistas, a proibição das drogas fez o Brasil ter 200 mil pessoas "enjauladas por terem alguma ligação com o mercado das drogas". "A proibição já se mostrou ineficaz em cumprir seu papel [...] de controlar o uso de substâncias e plantas ilícitas, que a cada ano estão mais acessíveis." 

No manifesto nacional, a Marcha da Maconha defende que não cabe ao Estado controlar a conduta individual que não afeta a vida de terceiros, como o uso de maconha. "Assim como feministas levantam a bandeira do direito ao próprio corpo, nós, antiproibicionistas, somamos nossas vozes nessa luta pela liberdade e contra a ingerência do Estado, que, embora nos acuse, é o verdadeiro criminoso." 

Confira a agenda de protestos:

16/5
- Porto Alegre, nos Arcos da Redenção, às 16h20
- Niterói (RJ), no terminal de ônibus da cidade, às 14h20

17/5
- Belém, praça da República, 16h20
- Recife, local não definido, 16h20
- Aracaju, Arcos da Orla, 14h20)

23/5
- São Paulo, vão do Masp, às 14h20
- Vitória, UFES, às 14h20.
- Contagem (MG), Paulo Pinheiro Chagas, 16h20

24/5
- Salvador, Campo Grande, 12h,
- Santos, Ppraça da Independência, 14h
- Fortaleza, estátua de Iracema, 14h

29/5
- Juiz de Fora (MG), Parque Halfeld, 14h20
- Foz do Iguaçu (PR), Zoológico Municipal, 16h20
- Natal, Arena das Dunas, 16h20

30/5
- São Carlos (SP), local não definido, 16h20
- Belo Horizonte, Praça da Estação, 16h20
- São Gonçalo, Praça Zé Garoto, 16h20
- Brasília, Museu Nacional, 16h20
- Santo André, Paço Municipal, 14h20
- Ribeirão Preto, Esplanada Don Pedro II, 14h
- Florianópolis, Trapiche da Beira Mar, 16h20

6/6
Guarulhos (SP), Fórum, 14h
- João Pessoa, Mangabeira, 15h

13/6
- Largo do Rosário, 14h

14/6
Palmas, Av. Palmas Brasil, 16h20

26/6
Chapecó, Praça Cel. Ernesto Bertaso,

27/6
- Atibaia, Praça da matriz, 16h20)

10/10
- Gravataí, Parcão da 79, 14h20