Você está aqui: Página Inicial / Blogs / Parlatório / Janot pede investigação de Lula, Cunha e três ministros de Dilma

Política

Operação Lava Jato

Janot pede investigação de Lula, Cunha e três ministros de Dilma

por Redação — publicado 03/05/2016 19h10
No inquérito principal da investigação, PGR diz que PT e PMDB comandavam os dois eixos da "organização criminosa"
Rovena Rosa/Agência Brasil
lula discurso

Lula, a pedido de Janot, pode ser incluído no principal inquérito da Lava Jato que tramita no STF

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) a inclusão de 29 investigados no principal inquérito da Operação Lava Jato que tramita na Corte, entre eles o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e os ministros Jaques Wagner (chefe de gabinete da Presidência), Ricardo Berzoini (Secretaria de Governo) e Edinho Silva (Secretaria de Comunicação Social).

O ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no Supremo, é quem vai decidir sobre a inclusão de nomes nesse inquérito, que investiga se uma organização criminosa atuou na Petrobras.

De acordo com o site de notícias jurídicas Jota, no documento enviado ao STF, Janot afirma que tal organização “jamais poderia ter funcionado por tantos anos e de uma forma tão ampla e agressiva no âmbito do governo federal sem que o ex-presidente Lula dela participasse”.

Entre os 29 investigados estão, principalmente, nomes do PT e do PMDB, além de lobistas e empresários. O documento é baseado no conteúdo da delação do senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS) e pede que o próprio Delcídio seja incluído no inquérito – o Conselho de Ética do Senado aprovou, nesta terça-feira 3, o relatório que recomenda a cassação do mandato do senador.

Entre os listados por Janot estão Giles Azevedo, assessor especial da presidenta Dilma Rousseff; os ex-ministros Antonio Palocci e Erenice Guerra; o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto; o ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli; o pecuarista José Carlos Bumlai; o empresário Milton Lyra; o lobista Jorge Luz; o doleiro Lucio Bolonha Funaro; os ex-ministros Henrique Eduardo Alves e Silas Rondeau; o ex-presidente da Transpetro Sergio Machado; e o banqueiro André Esteves.

Outros nomes citados por Janot são: Jader Barbalho; André Moura; Arnaldo Faria de Sá; Altineu Cortês; Manoel Júnior; Alexandre Santos; Carlos Willian; João Magalhães; Nelson Bornier; e Solange Almeida.