Você está aqui: Página Inicial / Blogs / Parlatório / Família de Lula processará responsáveis por boatos

Política

Justiça

Família de Lula processará responsáveis por boatos

por Lino Bocchini — publicado 28/01/2015 18h53, última modificação 29/01/2015 06h20
Iniciativa contra o responsável pela divulgação da informação falsa de que o filho do ex-presidente é proprietário do frigorífico Friboi é apenas o começo da investida
Reprodução
LulinhaeJoesley.jpg.jpg

Fábio Luís, o Lulinha, e o verdadeiro dono da Friboi, Joesley Batista

Nesta terça-feira 27 Fábio Luis Lula da Silva, filho do ex-presidente Lula, anunciou que iria processar o ex-candidato à presidência da República pelo PV, Eduardo Jorge, por conta de um tuíte divulgado no último domingo 18. A mensagem divulgava um antigo boato que ganha força todo período eleitoral, o de que Lulinha (apelido de Fábio) seria o dono do frigorífico Friboi. Na verdade a Friboi pertence ao grupo JBS, do qual fazem parte outras marcas como Swift e Seara. O proprietário é de Joesley Batista.

Lulinha errou o alvo. O tweet havia sido feito por uma conta falsa que se passa por Eduardo Jorge. A conta oficial do político é @EduardoJorge43, e a conta responsável pelo tweet é a @EduadoJorge43. O post em questão foi apagado. O Instituto Lula informou que não há processo contra o ex-candidato do PV, e sim uma “interpelação judicial” para se apurar se era ou não Jorge o responsável pela conta. Não sendo, informa o Instituto, será buscado o responsável “por dizer mentiras sobre o filho do ex-presidente” e aí então “se buscará responsabilizar o autor das calúnias”.

Apesar de ter atirado no alvo errado (ameaçado Eduardo Jorge quando não foi ele o autor da difamação), CartaCapital apurou que a resposta marca uma mudança de postura do ex-presidente Lula e de seus familiares em relação aos ataques difamatórios que lhes são dirigidos diariamente. A partir de agora os responsáveis serão processados.

O tweet que irritou o filho de Lula brincava com o bordão da então candidata à reeleição Dilma Roussef, que repetiu durante o período eleitoral que não mexeria nos direitos trabalhistas "nem que a vaca tussa". Dizia a mensagem do fake: "A vaca que tossiu não é do frigorífico do filho do Lula. Então pode comer à vontade".

Na interpelação judicial os advogados de Lulinha afirmam, entre outros argumentos que é “vítima de atos criminosos na internet que lhe atribuem, de forma mendaz, a propriedade de fazendas e, ainda, a participação societária em frigoríficos e empresas do gênero. Invariavelmente, tais afirmações – associadas a insinuações ou afirmações da prática de alguma conduta irregular ou ilegal – são lançadas por pessoas que se colocam no plano político como adversárias do Partido dos Trabalhadores (PT), pelo qual o genitor do interpelante, como é público e notório, já foi eleito Presidente da República em duas oportunidades”.

O boato difamatório de que “Lulinha é dono da Friboi” existe há anos e já foi desmentido diversas vezes por todos os envolvidos. Na última campanha, esta e outras informações mentirosas alimentaram uma grande quantidade de memes que circularam com força em toda a internet, em especial nas redes sociais e no Whatsapp.

eduardo fake.jpg
O tweet feito pela conta falsa