Você está aqui: Página Inicial / Blogs / Midiático / Conselheiro do Estadão xinga Venezuela em ato pró-Aécio

Política

Eleições 2014

Conselheiro do Estadão xinga Venezuela em ato pró-Aécio

por Redação — publicado 23/10/2014 15h55, última modificação 23/10/2014 17h00
Foto de Fernão Mesquita, que já escreveu na Folha acusando de Dilma de "golpe", foi divulgada pelo presidente da Jovem Pan; Também na internet, herdeiro dos Diários Associados atacou o PT
Reprodução/Instagram
Fernão Mesquita

A imagem de Fernão com a referida placa foi feita por Tutinha, da Jovem Pan

Botão Eleições 2014Entre as imagens dos cerca de 10 mil participantes (segundo a PM) que estiveram no final da tarde de quarta-feira, 22, no Largo da Batata, em São Paulo, em ato de apoio ao candidato Aécio Neves no segundo turno destas eleições, destaca-se a de um homem com um cartaz com a seguinte inscrição: "Foda-se a Venezuela".

Era Fernão Lara Mesquita, filho de Ruy Mesquita, ex-diretor do jornal paulistano O Estado de S. Paulo, e membro do Conselho de Administração do grupo. A foto foi feita e divulgada pelo Instagram por Antônio Augusto Amaral de Carvalho Filho, o Tutinha, CEO das rádios Jovem Pan AM e FM e da marca Pânico.

A família Mesquita, de que Fernão é herdeiro, perdeu o controle do Estadão em 2003, retornando à direção em 2012. Dos cinco membros do atual Conselho Editorial, quatro carregam o sobrenome Mesquita. Em seu "Código de Conduta e Ética", o Grupo Estado declara que pretende manter-se isento em relação a atividades político-partidárias. Contudo, "nenhuma restrição será feita pelo Grupo Estado à participação pessoal de seus empregados em atividades político-partidárias, desde que estas não interfiram em suas responsabilidades profissionais, não ocorram no ambiente de trabalho, não utilizem os recursos da Empresa e não provoquem conflitos de interesses".

Em junho, Fernão, que já atuou como Diretor de Opinião do Estadão, assinou um artigo no jornal concorrente, a Folha de S. Paulo, intitulado "Acorda, Jornalistas!", em que afirmava que o Sistema Nacional de Participação Social era um golpe de Dilma. No texto, ele afirmava que era papel dos jornalistas mostrar que as consultas populares eram antidemocráticas. Na ocasião, porém, não se identificou como herdeiro do Estadão, preferindo a alcunha jornalista e blogueiro.

Herdeiro do Estado de Minas

Outro conselheiro de veículo tradicional usou as redes sociais para atacar Lula e a presidenta Dilma Rousseff após um ato pró-Aécio Neves em Belo Horizonte. Geraldo Costa Neto é diretor-executivo e filho do principal acionista dos Diários Associados, que é proprietário de diversas retransmissoras de TV, rádios e jornais, como O Estado de Minas, O Diário de Pernambuco e Correio Braziliense.

Na mensagem, enviada também por Whatsapp, ele acusa o PT de semear o ódio e afirma que Lula jogou sua biografia no lixo. "O Brasil se libertará da página mais negra da política recente."

Leia na íntegra:

"Acabo de voltar do comício do Aécio Neves. Foi um discurso histórico, de estadista, de gente grande, que pensa no país. Estou convicto de que ele vai ganhar as eleições.

Mas como bom atleticano, sempre me preparo para o pior. E desta vez estou me preparando de verdade. Este ódio que o PT está semeando no país não é decente. "Nós contra eles". "Sul contra norte". Isto é um absurdo. Vocês não podem fazer isso e continuar governado o país como se nada tivesse acontecido, vocês passaram e muito do limite! É um horror o que está acontecendo! Blasfemando, caluniando, isso é coisa de gente baixa, sem valores, que se unem com a cúpula da corja deste país, como Maluf, Collor, Barbalho, juntando com o resto dos seus para subtrair o público, sobre [sic] o pretexto de que tiraram pobres da miséria. Isso não lhes dá passe livre para fazer o que quiserem. Chamar uma pessoa de bem de neonazista é coisa de cachorro louco verborrágico, se é que este cachorro louco soube o que foi o holocausto de fato.

Ganha-se e perde-se na vida, mas os valores não mudam de acordo com os números da última pesquisa. Valor não tem duas caras. Não se faz a coisa na surdina, para fisgar o desprevenido, o desinformado, o humilde.

E eu pensando que este cara iria entrar para a história como um dos grandes... Jogou a biografia no lixo mais sombrio.
Não é esse o país que quero para os meus filhos! E por favor, se o pior acontecer, coisa que eu não acredito, deletem meu nome no face. Amizade a partir de agora só faço com quem tem os mesmos princípios que os meus. Dirijam-se a mim somente profissionalmente, mesmo que seja para vingança, que eu já estou esperando. De outro modo, não terão minha atenção.

Vocês não terão governabilidade, caso vençam, e isso não é uma ameaça, é uma premunição [sic]. Vocês estão pisoteando na cabeça de milhões de pessoas de bem, que tem [sic] alma e princípio. Elas não esquecerão disso. Só para ter um punhado de votos a mais. Isto não se faz!!! O jogo de vocês não está sendo disputado dentro das quatro linhas. Colocam inverdades na boca dos outros e se rogam de santo. O tombo de quem faz isso geralmente vem na proporção, não sei, deve estar na bíblia.

Não sei se vou arrepender do que estou escrevendo, mas saibam que este é o meu sentimento que está entalado ao ver que essas cenas de calánia a luz do dia não serão punidas por nenhuma instância. Fosse num país serio... Não, isso não é correto. Não vale tudo. O tudo tem seu preço, e os juros estão correndo, mais dos que vocês colocaram na nossa economia.

Mas para o bem das pessoas de valores deste país, vocês serão derrotados e o Brasil se libertará da página mais negra da política recente."

registrado em: