Você está aqui: Página Inicial / Blogs / Carta nas Eleições / Caetano: "O mundo de Dilma é mil vezes mais difícil"

Política

Na Europa

Caetano: "O mundo de Dilma é mil vezes mais difícil"

por Redação — publicado 21/05/2014 20h54, última modificação 21/05/2014 21h08
Em entrevista à revista espanhola El Cultural, o cantor defendeu o governo atual, os avanços no Brasil desde o governo FHC e a Copa. "O Brasil segue amando o futebol"
caetano.jpg

O cantor durante entrevista na Europa esta semana, em foto postado em sua página no Facebook

Em entrevista à publicação espanhola El Cultural, divulgada na segunda-feira 20 no site da revista, Caetano Veloso defendeu o governo Dilma Rousseff. “A economia mundial foi favorável quando Lula era presidente. O mundo de Dilma é mil vezes mais difícil.” Além de falar da sua carreira (neste momento, Caetano divulga o álbum Abraçaço no exterior), o cantor respondeu aos questionamentos sobre os acontecimentos políticos recentes no Brasil e deu a sua opinião sobre as eleições de outubro e a Copa do Mundo. “O Brasil segue amando o futebol”.

Caetano evitou entrar em polêmicas, e reconheceu o crescimento econômico desde o governo FHC. “O Brasil mudou muito, e para melhor, com Fernando Henrique Cardoso e Lula. O primeiro desacelerou a inflação e criou a lei de responsabilidade fiscal. Lula teve a coragem de aumentar o salário mínimo e, talvez mais importante, criou o Bolsa Família.”

Em relação às manifestações contra a Copa o cantor reconheceu os problemas no País, mas se mostrou confiante na realização do evento. “Houve protestos [na Copa das Confederações], mas o Maracanã estava cheio.” Para ele, ainda que nem todas as obras de infraestrutura que conseguiram sair do papel fiquem prontas no prazo, o Brasil conseguirá cumprir seu dever como sede do Mundial. “O Brasil talvez não pareça tão bonito aos visitantes. Mas o amor pelo futebol não acaba assim.”

Reeleição

Questionado sobre se o desenvolvimento alcançado pelo Brasil está relacionado mais às conjunturas econômicas mundiais do que aos méritos dos governos de esquerda, Caetano admitiu que todos estão à mercê desses ciclos de crescimento. "Vivemos, em todo o mundo, um período de profunda instabilidade. Entretanto, o Brasil, enfrentando seus velhos problemas com novas cores, agora é mais capaz de resolvê-los.”

Sobre a reeleição do partido governista, Caetano acredita na vitória de Dilma. “Lula é adorado pelo povo, razão pela qual pode eleger Dilma, que segue sendo amada pelo povo como uma representante das políticas públicas de Lula. Ela enfrenta dificuldades, mas se a eleição fosse hoje, seria vitoriosa no primeiro turno.”