Você está aqui: Página Inicial / Blogs / Carta nas Eleições / Arruda: FHC "trabalha" por absolvição no TSE

Política

Eleições 2014

Arruda: FHC "trabalha" por absolvição no TSE

por Redação — publicado 26/08/2014 17h47, última modificação 27/08/2014 10h04
Ex-governador do DF, candidato outra vez, teve registro cassado. Vídeos revelam que ele contava com ajuda do ex-presidente para ser liberado pela Justiça
Agência Brasil
gilmar mendes fhc.jpg

O ministro do STF Gilmar Mendes e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso

O Ministério Público do Distrito Federal está em poder de dois vídeos que podem complicar a participação do ex-governador José Roberto Arruda nas eleições deste ano. Candidato ao governo do Distrito Federal e mais uma vez e líder nas pesquisas de intenções de voto, Arruda teve o registro da candidatura cassado em função de já ter sido condenado por envolvimento em escândalos de corrupção no passado. Ele recorreu da decisão no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que deve decidir hoje se ele tem ou não o direito de participar do pleito. No vídeo, no entanto, o ex-governador afirma “ter” dois votos de ministros a seu favor. Para conseguir a absolvição, Arruda estaria tendo, inclusive, o apoio do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Segundo reportagem publicada nesta terça-feira 26 pela revista Época, Arruda diz em vídeo que o ex-presidente está “trabalhando” para convencer o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes, que também atua no TSE, a livrá-lo da impugnação pela Justiça Eleitoral. Ainda de acordo com a publicação, Fernando Henrique Cardoso confirma ter tentado ajudar o ex-governador, condenado na Justiça.

“Queria (Arruda) que o julgamento ocorresse a tempo de, se favorável, concorrer ao governo de Brasília. Como sempre, sou muito cuidadoso nessas matérias. Apenas indaguei ao ministro Gilmar se havia chance de isso ocorrer. Fui informado de que haveria um julgamento anterior que pré-julgaria o caso. Nada mais pedi a ninguém nem nada mais me foi dito”, teria afirmado o ex-presidente.

Além disso, nos vídeos, Arruda manifesta a preocupação de “conseguir” mais dois votos a seu favor, o que lhe garantiria a permissão para disputar o cargo nas urnas. O ex-governador ainda acrescenta bastidores e táticas que seriam utilizadas para ter certeza de que seria absolvido. “É mais difícil conseguir quatro votos (no TSE) do que um milhão de votos (para governador)”, afirma Arruda no encontro.

Os vídeos foram gravados na tarde da última quinta-feira 21. As imagens registraram uma reunião entre Arruda e correligionários de Joaquim Roriz, outro ex-governador de Brasília envolvido em denúncias. O encontro teria acontecido em Brasília, na casa do advogado Eri Varella, conselheiro de Roriz. Ainda segundo a revista, o material foi periciado pelo MP e será encaminhado à Procuradoria-Geral da República. Caso o órgão julgue que há indícios de crime no caso, uma investigação será aberta.