Você está aqui: Página Inicial / Blogs / Carta nas Eleições / Horário eleitoral ‘gratuito’: R$ 839 milhões a emissoras

Política

Eleições 2014

Horário eleitoral ‘gratuito’: R$ 839 milhões a emissoras

por Piero Locatelli — publicado 23/09/2014 16h30, última modificação 23/09/2014 16h38
Valor repassado soma 4,4 bilhões de reais desde 2002. Receita Federal não divulga quando cada rádio ou televisão recebe
Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas
Dilma

Propaganda eleitoral custou R$ 4,4 bilhões desde 2002

Emissoras de televisão e rádio deixarão de pagar 839 milhões de reais em impostos neste ano para exibir o horário eleitoral. Apesar de ser conhecido como “gratuito”, o tempo na televisão para candidatos e partidos já custou 4,4 bilhões de reais aos cofres públicos desde 2002, quando os dados começaram a ser publicados. A previsão deste ano consta no projeto de orçamento enviado pelo governo federal ao Congresso Nacional.

Para bancar o horário eleitoral, o governo funciona como se fosse um anunciante das emissoras de rádio e tevê, apesar de elas funcionarem graças a concessões públicas. O Estado beneficia cada uma delas com 80% do valor que uma empresa qualquer pagaria para anunciar no mesmo horário, conforme consta na tabela de preços dos canais. Desta forma, durante os 45 dias do horário eleitoral, o governo banca dois blocos de cinquenta minutos diários e outras inserções de 30 segundos ao longo do dia.

Apesar do gasto ser público, é impossível saber quanto cada emissora irá receber. Ao longo desta ano, CartaCapital solicitou à Receita Federal os valores, discriminados por emissora e ano, mas o órgão negou a divulgação desta informação.

A Lei de Acesso à Informação prevê que informações de interesse público sejam divulgadas pelo governo. A Receita Federal recorreu ao Código Tributário Nacional para negar o pedido, alegando que não é permitido divulgar qualquer informação sobre “a situação econômica ou financeira” de empresas.

A Controladoria Geral da União, órgão responsável pelos pedidos de resposta da lei, aceitou o argumento da Receita. Leia o pedido na íntegra e saiba mais sobre como funciona o horário eleitoral gratuito.

Desde 2002, segundo dados da Receita, o valor tem aumentado. Neste ano, o gasto aumentou 39% em relação as últimas eleições nacionais. Em 2010, foram gastos 604,3 milhões.

A tabela abaixo mostra os gastos com a propaganda eleitoral e a partidária, exibida quando não há campanha eleitoral, conforme os relatórios da Receita Federal:

Ano

Valor da isenção
2002 R$ 121,5 mi
2003 R$ 174,1 mi
2004 R$ 238,6 mi
2005 R$ 283,5 mi
2006 R$ 494,6 mi
2007 R$ 150,7 mi
2008 R$ 420,4 mi
2009 R$ 201,1 mi
2010 R$ 604,3 mi
2011 R$ 207,2 mi
2012 R$ 436,3 mi
2013 R$ 239,7 mi
2014 R$ 839,5 mi
Total R$ 4.411,5 mi

* Com informações da Agência Brasil