Você está aqui: Página Inicial / Blogs / Carta nas Eleições / Grupo de Daniel Dantas fez doação ao PT, diz jornal

Política

Grupo de Daniel Dantas fez doação ao PT, diz jornal

por Redação — publicado 25/09/2014 13h32, última modificação 25/09/2014 13h32
Agropecurária Santa Bárbara Xinguara deu R$ 1,1 milhão ao partido, dos quais R$ 570 mil foram para a campanha de Alexandre Padilha, candidato ao governo de São Paulo
Wilson Dias / Abr
Daniel Dantas

Daniel Dantas, cujas relações com a política sempre causaram polêmica, doou ao PT

A Agropecurária Santa Bárbara Xinguara S.A., que tem entre seus donos a irmã de Daniel Dantas, Verônica Dantas, e o homem de confiança do banqueiro, Carlos Rodenburg, fez uma doação de 1,1 milhão de reais à direção nacional do PT, repassada a seis candidatos, entre eles Alexandre Padilha, postulante ao governo de São Paulo. A informação é do jornal O Globo.

De acordo com o jornal, a doação, a única da empresa registrada na Justiça Eleitoral, foi feita em 12 de agosto. O dinheiro foi repassado a seis candidatos petistas, sendo que Padilha recebeu a maior parte, 570 mil reais. Os outros beneficiados pelo repasse são os candidatos a deputado estadual Adriana Accorsi (GO), José Américo Dias (SP) e Marília Campos (MG) e os candidatos a deputado federal Marcelo Sereno (RJ) e Assis Miguel do Couto (PR).

Ao jornal, o tesoureiro nacional do PT, João Vaccari Neto, a Santa Bárbara Xinguara e a campanha de José Américo se limitaram a dizer que a doação era legal. A campanha de Padilha não comentou. As campanhas de Accorsi e Campos disseram que o dinheiro foi repassado pelo PT, enquanto Miguel do Couto afirmou "ser um problema sério" a doação ter partido do grupo de Dantas.

Daniel Dantas, dono do banco Opportunity, foi acusado de se beneficiar irregularmente das privatizações ocorridas durante o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), em especial no setor de telecomunicações. Seu nome apareceu também na Operação Satiagraha da Polícia Federal, derrubada por ordem judicial, e no escândalo do "mensalão", que levou para a cadeia alguns dos principais nomes do PT, como os ex-presidentes do partido José Dirceu e José Genoino. O PT sempre negou ter ligações com o banqueiro.

Em agosto do ano passado, o corpo de um trabalhador rural desaparecido no mês anterior foi encontrado na Fazenda Lagoa do Triunfo, pertencente à Agropecurária Santa Bárbara, em São Félix do Xingu (PA). Atualmente, a empresa de Dantas vive uma intensa disputa com Movimento dos Trabalhadores Sem Terra. José Batista Gonçalves, advogado do MST, diz que a Santa Bárbara não cumpre seus requisitos legais e tem um histórico de trabalhadores em condição análoga à escravidão. De acordo com um estudo da Comissão Pastoral da Terra de 2013, fazendas da Santa Bárbara ocupam terras ilegalmente. O estudo analisou quatro fazendas, entre as mais de cinquenta do grupo, e chegou à conclusão que setenta por cento da terra era do Estado do Pará. A Santa Bárbara negou todas as acusações.