Você está aqui: Página Inicial / Blogs / Carta nas Eleições / Folha de S.Paulo publica direito de resposta de candidato ao governo de Pernambuco

Política

Decisão do TSE

Folha de S.Paulo publica direito de resposta de candidato ao governo de Pernambuco

por Redação — publicado 02/08/2014 17h40, última modificação 02/08/2014 17h48
Justiça Eleitoral atendeu pedido de Paulo Câmara. Reportagem mostrou suspeita de propina na formação da chapa do candidato
Reprodução / Facebook

O jornal Folha de S.Paulo publicou neste sábado 2, por ordem da Justiça Eleitoral, o direito de resposta do candidato do PSB ao governo de Pernambuco, Paulo Câmara. O veículo havia publicado em 23/07 uma reportagem sobre uma suspeita de propina na formação da chapa de Câmara. Ele é aliado de Eduardo Campos, candidato à Presidência da República pelo mesmo partido.

Na reportagem, o jornal cita um relato do deputado Augusto Maia - que chefiava o partido Pros no estado-, no qual ele alega que a legenda recebeu duas ofertas de dinheiro para se juntar à chapa do socialista. O jornal disse ter ouvido e publicado as respostas de Câmara na reportagem.

O desembargador José Ivo de Paula Guimarães, do TRE de Pernambuco, concedeu liminar a Câmara em 25/07, mas negou o pedido para retirar o texto do site do jornal. A publicação recorreu ao plenário do TRE, que manteve a decisão. O mesmo ocorreu no recurso apresentado ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Aécio Neves, candidato do PSDB à Presidência, defendeu a decisão.  "É direito de quem se sente ofendido se justificar”, disse durante agenda de campanha em Curitiba, neste sábado. Entidades jornalísticas como a ANJ (Associação Nacional dos Jornais) e Abert (Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão) criticaram a posição do TSE.

Na resposta, Câmara disse que o jornal o associou de forma “irresponsável” com “uma suposta ação criminosa” e para a “criação de falsas denúncias”. Ele também afirmou que Maia responde a duas ações criminais por fraude em licitação e formação de quadrilha, e que foi condenado neste ano por improbidade administrativa, tendo os seus direitos políticos sido suspensos por três anos.

registrado em: ,