Você está aqui: Página Inicial / Blogs / Carta nas Eleições / Dilma e Marina batem boca por causa de banqueiros

Política

Eleições 2014

Dilma e Marina batem boca por causa de banqueiros

por Redação — publicado 09/09/2014 18h36, última modificação 09/09/2014 19h16
PT faz propaganda sobre BC; Marina fala em "bolsa-banqueiro" e Dilma responde: não sou "sustentada" por banqueiros, em referência a Neca Setúbal
Ichiro Guerra/ Dilma 13 e Leo Cabral/ MSILVA Online

Uma propaganda do PT, exibida nesta terça-feira 9, desencadeou um bate-boca entre a presidenta e candidata à reeleição, Dilma Rousseff (PT), e a candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, por meio da imprensa. Isso porque a inserção petista na TV ataca uma das principais propostas do programa de governo de Marina, que promete dar autonomia ao Banco Central. A publicidade de 30 segundos exibe uma mesa com uma família que se prepara para fazer uma refeição enquanto que, em outra mesa, banqueiros participam de uma reunião. Na medida em que os empresários parecem chegar a um acordo e ficam felizes, a comida desaparece dos pratos da família. Tudo é mostrado enquanto um narrador explica a proposta da ex-ministra.

“Marina tem dito que, se eleita, vai fazer a autonomia do Banco Central. Parece algo distante da gente, né? Parece, mas não é. Isso significaria entregar aos banqueiros um poder de decisão sobre a sua vida e de sua família: os juros que você paga, preços, seu emprego e até salários. Ou seja, os bancos assumem um poder que é do presidente e do Congresso, eleitos pelo povo. Você quer dar a eles esse poder?”, diz o locutor.

A propaganda em questão é uma inserção, ou seja, é exibida em meio à programação normal das emissoras e não no horário eleitoral. O partido veiculou também uma segunda peça publicitária sobre o assunto, mais longa, em meio ao horário eleitoral --mais branda, contudo.

Feita pelo marqueteiro João Santana, as peças levaram Marina a contra-atacar hoje, durante agenda de campanha, em Minas Gerais. “Ela [Dilma] disse que ia ganhar para baixar os juros. Nunca os banqueiros ganharam tanto como no seu governo. E agora, eles que fizeram o 'bolsa empresário', o 'bolsa banqueiro', a 'bolsa juros altos', estão querendo nos acusar de forma injusta em seus programas eleitorais”, afirmou.

Pouco depois, Dilma respondeu a adversária e fez uma provocação com o fato de Marina ter, como uma das responsáveis pelo seu programa de governo, a herdeira do banco Itáu, Neca Setúbal. Além de ser interlocutora da ex-ministra com o empresariado, Neca doou aproximadamente um milhão de reais para um instituto de Marina Silva, em 2013.

“Não adianta querer falar que eu fiz bolsa banqueiro. Eu não tenho banqueiro me apoiando. Eu não tenho banqueiro, você me entende, me sustentando”, ironizou Dilma. “O Banco Central, como qualquer outra instituição, não é eleito por tecnocrata nem por banqueiros. O Banco Central é indicado, sua diretoria, por quem tem voto direto. Todo mundo sabe o que o congresso faz com o Banco Central? Chama e manda prestar contas. Eu não digo isso porque sonhei com isso, está escrito no programa: autonomia do Banco Central e todo mundo sabe o que é autonomia do Banco Central”, concluiu.

Assista às peças do PT que alimentaram polêmica: