Você está aqui: Página Inicial / Blogs / Carta nas Eleições / Bonner e Poeta fazem entrevista dura com Aécio Neves

Política

Rede Globo

Bonner e Poeta fazem entrevista dura com Aécio Neves

por Redação — publicado 11/08/2014 21h48, última modificação 12/08/2014 16h15
Eduardo Azeredo, mensalão mineiro e aeroporto construído em terreno de tio avô foram os assuntos da entrevista do tucano no Jornal Nacional
Reprodução
Aécio-Neves-Jornal-Nacional

Aécio Neves é entrevistado por William Bonner e Patrícia Poeta na noite desta segunda-feira 11 de agosto

"O que vale mais, candidato: uma fazenda com um aeroporto ao lado ou sem um aeroporto ao lado?" Com perguntas como esta, duras e irônicas, William Bonner e Patrícia Poeta entrevistaram o candidato tucano à Presidência na noite da segunda-feira 11. A entrevista foi a primeira da série com os candidatos no Jornal Nacional.

Bonner abriu a entrevista com uma longa pergunta, onde questionava se o candidato iria aumentar tarifas e o valor do combustível no próximo ano. Após Aécio dizer que tomaria as “medidas necessárias”, Bonner insistiu com ele dizendo: “O senhor não respondeu à minha pergunta”.

Em seguida, Patrícia Poeta questionou qual era a diferença entre o tratamento do PSDB e dos outros partidos à corrupção. A jornalista lembrou o “mensalão mineiro”, escândalo de suposto caixa 2 abastecido com dinheiro público na campanha do tucano Eduardo Azeredo ao governo de Minas Gerais.

Aécio disse que a diferença era “enorme”: “No caso do PT, houve uma condenação pela mais alta corte brasileira. Em relação ao PSDB, se tiverem denúncias que sejam consistentes, elas têm de ser investigadas,” disse o candidato. “Se alguém for condenado, não será como foi no PT, (onde os condenados foram) tratados como heróis nacionais.”

Diante da resposta, Poeta questionou se o apoio de Azeredo, e sua presença em palanques, causava algum desconforto a Aécio. “É ele quem está me apoiando, e não o inverso, como você bem disse, Patrícia”, respondeu o tucano.

Bonner fez três perguntas sobre o aeroporto construído no terreno do tio-avô de Aécio Neves pelo governo mineiro na cidade de Cláudio, interior de Minas Gerais. O tucano disse que não se sentia incomodado em usar o aeroporto e reclamou do “aparelhamento” da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). “Visitei praticamente todos os aeroportos de Minas Gerais como governador”, explicou Aécio.

O tucano foi o primeiro na série de quatro entrevistas do Jornal Nacional com os candidatos. Nesta semana, ainda deverão ser entrevistados Eduardo Campos (terça), Dilma Rousseff (quarta) e o Pastor Everaldo (quinta).