Você está aqui: Página Inicial / Blogs / Carta nas Eleições / Aécio admite que usou aeroporto em terra de familiar

Política

Eleição presidencial

Aécio admite que usou aeroporto em terra de familiar

por Redação — publicado 31/07/2014 11h36, última modificação 31/07/2014 12h10
Candidato do PSDB reconhece que pousou no aeródromo de Cláudio (MG), construído com dinheiro público em terreno de seu tio-avô, desapropriado pelo estado
José Paulo Lacerda / CNI
Aécio Neves

Aécio em sabatina da CNI, na quarta-feira 30. O senador demorou dez dias para responder sobre o uso do aeroporto

O senador Aécio Neves (PSDB-MG), candidato à Presidência da República, reconheceu que usou o aeroporto no município de Claudio, em Minas Gerais, construído pelo governo do estado em um terreno de seu tio-avô, Múcio Tolentino, desapropriado pelo poder público. Desde a publicação da denúncia, há cerca de dez dias, Aécio vinha evitando responder sobre o uso do terminal. Nesta quinta-feira 31, reconheceu o fato em declarações à Folha de S.Paulo e também em artigo publicado no jornal.

"Usei essa pista algumas vezes ao longo dos últimos 30 anos, especialmente na minha juventude, quando ela ainda era de terra", afirmou Aécio no artigo. "Depois de concluída essa obra, demandada pela comunidade empresarial local, pousei lá umas poucas vezes, quando já não era mais governador do Estado. Viajei em aeronaves de familiares, no caso da família do empresário Gilberto Faria, com quem minha mãe foi casada por 25 anos anos", disse. O aeroporto fica a seis quilômetros da Fazenda da Mata, propriedade da família de Aécio e tida como seu "refúgio predileto". O senador nega que a construção tenha sido feita para benefício próprio ou familiar e alega que foi uma demanda da comunidade local.

Aécio admitiu também que usou a pista do aeroporto de Cláudio mesmo sem ela ter autorização da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). "Refletindo sobre acertos e erros, reconheço que não ter buscado informação sobre o estágio do processo de homologação do aeródromo foi um equívoco", escreveu o senador. À Folha, Aécio afirmou que a Anac deve homologar a obra, que está há três anos sem autorização para funcionar regularmente.

Aeroporto em Montezuma

No artigo publicado nesta quinta-feira, Aécio fala também sobre a questão do aeroporto em Montezuma (MG), município de 7,9 mil habitantes no norte de Minas. A pista local foi uma das várias reformadas durante sua gestão. Na cidade fica uma das duas joias do patrimônio do candidato do PSDB, a Perfil Agropecuária e Florestal. Dos 2,5 milhões de reais em bens declarados por Aécio Neves à Justiça Eleitoral, 666 mil reais são cotas da Perfil.

Aécio admitiu que usou o aeroporto. "A pista, municipal, existe desde a década de 1980 e recebeu em nosso governo obras de melhoria de 300 mil reais, inseridas em um contexto de ações para a região. Pelo que me lembro, pousei lá uma vez", escreveu.