Você está aqui: Página Inicial / Blogs / Blog do Serapião / José Aníbal ataca ministro da Justiça

Política

Caso Siemens

José Aníbal ataca ministro da Justiça

por Fabio Serapião — publicado 02/04/2014 00h03, última modificação 02/04/2014 09h15
Citado como recebedor de propina, o tucano não aceita ser investigado, ataca José Eduardo Cardozo e diz que Rodrigo Janot não se esforçou para averiguar sua honestidade.

Em nota distribuída à imprensa após divulgação de parecer no qual o procurador-geral da República Rodrigo Janot pede ao STF prosseguimento nas investigações para apurar um possível elo entre ele e o cartel de trens, o secretário de Energia do governador Geraldo Alckmin, o tucano José Aníbal, acusa o ministro José Eduardo Cardozo de comandar uma “máquina de destruição de reputações”.

Ainda nas palavras de Aníbal, a decisão de Janot tomou como base,” sem qualquer esforço de averiguação”, erros factuais produzidos pelo comandados de Cardozo. Após taxar Everton Rheinheimer como “bandido delator da Siemens”, Aníbal termina a carta depositando sua confiança no ministro Marco Aurélio Mello, segundo ele, quem “vai reconhecer erros factuais e desfazer as calúnias, todas elas já desqualificadas por mim, de mais este dossiê petista”.

Nota à Imprensa*

É temerária e extremamente perigosa para a democracia brasileira a manifestação do Procurador-Geral de Justiça. Ela toma como base, sem qualquer esforço de averiguação, erros factuais fabricados por uma máquina de destruição de reputações liderada pelo Ministro da Justiça José Eduardo Martins Cardozo. Eu não era deputado à época dos fatos, ao contrário do que diz a manifestação do procurador-geral. Tampouco fui presidente da Comissão de Transportes da Assembleia Legislativa, segundo a nota espúria divulgada pela assessoria da Procuradoria Geral da República. Eu não atuava na esfera estadual e nunca fui deputado estadual. Ambos os documentos, a manifestação do Procurador-geral e o documento infeliz de sua assessoria, disseminam, de forma pró-ativa, mentiras que poderiam ter sido desfeitas no mínimo por uma busca na internet. As fraudes e calunias contidas nos vários depoimentos do bandido delator da Siemens à Policia Federal foram acolhidas pelo Procurador-Geral sem nenhum critério ou verificação que pudessem justificar a continuação das investigações. Confio que o Ministro Marco Aurélio Mello vai reconhecer erros factuais e desfazer as calúnias, todas elas já desqualificadas por mim, de mais este dossiê petista.

*José Aníbal, Secretário de Energia de São Paulo e deputado federal licenciado.