Falta de recursos faz Ibama recolher agentes de combate a incêndios

Em 2020, os biomas do Pantanal e da Amazônia foram duramente castigados por queimadas

Foto: Mayke Toscano/Secom MT

Foto: Mayke Toscano/Secom MT

Sustentabilidade

Um ofício enviado por uma chefia do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais e Renováveis (Ibama) determinou que todos os brigadistas de combate a incêndios ambientais voltem às suas bases, pois já não há recursos para mantê-los em campo.

 

 

A ordem foi assinada por Ricardo Vianna Barreto, chefe do Centro Especializado Prevfogo, que pede “a determinação para que todas as brigadas do Prevfogo retornem as suas bases de origem as 0:00h de 22 de outubro de 2020, onde deverão aguardar ordens para o emprego em operações em campo”.

Outro ofício assinado pelo o diretor de planejamento, administração e logística do Ibama, Luis Carlos Hiromi Nagao, dá o tom da falta de recursos para os brigadistas:

“Considerando que as tratativas com os órgãos superiores para solução do problema ainda não surtiram efeito, comunico a indisponibilidade de recursos financeiros para fechamento do mês corrente, não sendo possível prosseguir com os pagamentos das despesas desta Autarquia”, diz o texto. O documento foi obtido pelo jornal O Estado de S. Paulo.

Em 2020, os biomas do Pantanal e da Amazônia foram duramente castigados pelos incêndios florestais – causados principalmente por ações que visam expandir área para gado ou outras plantações.

Apesar do fogo no Pantanal estar relativamente mais controlado do que nos meses anteriores, o mês de outubro de 2020 tem sido, até o momento, o 2º pior mês desde as medições de 2002.

De acordo com dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), houve um aumento de 217% em focos de incêndio no Pantanal em reação ao mesmo período do ano passado (de janeiro até o dia 21 de outubro). Na Amazônia, o aumento foi de 25%, com mais de 89 mil focos de calor identificados pelos satélites.

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem