Sustentabilidade

Desmatamento cai 11,6% no Brasil em 2023, aponta MapBiomas

Amazônia e Cerrado representam mais de 85% da área desmatada

Foto: Fernando Augusto/Ibama
Apoie Siga-nos no

O Brasil perdeu, em 2023, 1,8 milhão de hectares de vegetação nativa, segundo dados do Relatório Anual de Desmatamento (RAD 2023) do MapBiomas, divulgado nesta terça-feira 28.

Os números revelam uma redução de 11,6% no desmatamento em comparação com a destruição ambiental de 2022.

O relatório indica, também, que o Cerrado e a Amazônia foram os biomas mais atingidos, representando 85% da área total desmatada no País.

Pela primeira vez, o Cerrado ultrapassou a Amazônia em área ambiental destruída. Em 2023, a devastação do bioma representou 61% do desmatamento registrado no País, enquanto a Amazônia, respondeu por 25%.

No Cerrado, 1.110.326 hectares foram desmatados em 2023, um aumento de 68% em relação a 2022. O documento aponta a expansão agropecuária como o principal destruidor do bioma, representando 97% do total da área desmatada.

Outros vetores incluem garimpo, eventos climáticos extremos e expansão urbana. Na Caatinga, o MapBiomas cita projetos de energia solar e eólica como responsáveis pela destruição do bioma.

O levantamento ainda revelou que o desmatamento no País vem agora se concentrando na região da Matopiba, localizada nos estados do Maranhão, de Tocantins, do Piauí e da Bahia.

Pela primeira vez, houve o predomínio de desmatamento em formações savânicas (54,8%), seguido de formações florestais (38,5%).

O documento apontou, por fim, uma diminuição na destruição ambiental em áreas protegidas e em terras indígenas.

Em 2023, 96.761 hectares foram desmatados em unidades de conservação, uma redução de 53,5% em relação a 2022. Já a perda de vegetação nativa dentro de TIs representou 1,1% do desmatamento no Brasil no ano.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo