Qual é o perfil das pessoas que acreditam que a terra é plana?

Segundo o Instituto Datafolha, comunidade reúne mais de 11 milhões de pessoas no Brasil

Anderson Neves, um dos brasileiros que acreditam que a Terra é plana (Foto: Florence GOISNARD / AFP)

Anderson Neves, um dos brasileiros que acreditam que a Terra é plana (Foto: Florence GOISNARD / AFP)

Sociedade

“A minha única certeza é que eu vou morrer e que a Terra é plana”, diz Ricardo, entrevistado em seu restaurante em São Paulo com mesas e cadeiras azuis “como o céu” onde se reúnem os “terraplanistas”.

O homem sexagenário não quer revelar seu nome completo e prefere soltar um riso forçado para abrir suas explicações. “Hahaha!…  esta risada é a primeira reação que as pessoas têm quando você fala que é Terraplanista!”, afirmou. “Ficou polêmico demais, porque é verdade e há pressões… Porque tem um fundo de verdade, e isso desperta as pessoas”, explicou.

Aqueles que estão convencidos de que a Terra é plana tendem a viver nas sombras, um tanto perseguidos, quase paranoicos. Eles se comunicam em grupos fechados do WhatsApp, no Facebook e especialmente no Youtube, onde seus canais são seguidos por dezenas de milhares de pessoas.

Nesse inter-ser digital, o “terraplanista” pode compartilhar sua crença, divulgar suas experiências em física, ou óptica: a Terra é estacionária e plana – e isso está escrito em Gênesis.

“Nosso movimento cresceu muito a partir dos anos de 2016/2017. Hoje, no Brasil, estamos falando de mais de 11 milhões de pessoas que já entendem que a Terra é plana”, diz Anderson Neves, um empresário de 50 anos presente no restaurante de Ricardo.

Esse é o número apresentado pelo instituto Datafolha, ou seja, 7% dos brasileiros. Uma comunidade, cujos membros são principalmente homens, em geral crentes – católicos e evangélicos -, e relativamente sem instrução.

Um movimento que tem como pano de fundo o conspiracionismo dessa era pós-verdade onde cresce sem complexos, e especialmente dos centros de poder em Brasília, um discurso anti-intelectual, anticientífico e negacionista em relação ao clima.

Anderson Neves exibe um panfleto contra os três grandes “mistificadores” Newton, Darwin e Copérnico. Ao seu lado, uma maquete de uma Terra plana como um disco, coberta por uma cúpula transparente incluindo o Sol e a Lua, de tamanhos iguais.

Os gregos já sabiam há 2.000 anos

“Quando olhamos para o horizonte, quando vamos para uma montanha e tiramos fotos, vemos que (a Terra) é sempre plana e nunca curva como os livros científicos afirmam”, continua Neves, segurando um instrumento de nivelação.

Para os “terraplanistas”, se a Terra estivesse em movimento, sua rotação de 1.700 km/h para o Equador faria com que tudo voasse para longe. Se fosse esférica, veríamos sua curvatura de um avião.

“Para perceber a curvatura, seria necessário o dobro da altitude de um voo comercial, a 20.000 metros”, explicou Roberto Costa, astrônomo da Universidade de São Paulo (USP).

“Sabe-se que a Terra não é plana, seguramente, desde Galileu, desde o começo do século XVII, mas os gregos já sabiam isso há mais de 2.000 anos”, acrescenta o cientista. “Os argumentos invocados para argumentar que a Terra é plana são muito fracos”, ressalta.

“O pêndulo de Foucault, o nascer do Sol e da Lua são evidências da rotação da Terra”, completou. Para os cientistas, o “terraplanismo é mais uma brincadeira, nos parece muito mais uma questão a ser tratada por psicólogos e por sociólogos, porque, para os astrônomos, a forma da Terra não é um problema científico”, conclui.

Torre Eiffel pendida

No entanto, a teoria da Terra plana penetrou nos portões do poder, onde o influente guru do presidente Jair Bolsonaro, Olavo de Carvalho, um ex-astrólogo, tuitou: “Só assisti a uns vídeos de experimentos que mostram a planicidade das superfícies aquáticas, e não consegui encontrar, até agora, nada que os refute”.

Igualmente exilado nos Estados Unidos, onde os “terraplanistas” são numerosos e onde um deles morreu no domingo ao tentar voar num foguete caseiro, Afonso de Vasconcelos é um caso único de um doutor em geofísica da prestigiada Universidade de São Paulo a acreditar em uma Terra plana. Seu canal no YouTube “Ciência da Verdade” possui 345.000 inscritos.

Também faz sucesso no YouTube Siddhartha Chaibub, um dos organizadores da convenção que reuniu centenas de “terraplanistas” brasileiros, a primeira do gênero, em novembro de 2019 em São Paulo.

Principal alvo desses conspiracionistas: a Nasa. Para eles, a agência espacial americana manipula suas imagens de satélite. “O homem nunca chegou na Lua, foi uma montagem”, assegura Ricardo em seu restaurante. “E você já viu a Torre Eiffel de lado em imagens de satélite?”

Com seu instrumento de nivelação ainda em mãos, Anderson Neves conclui: “os terraplanistas são os mais inteligentes. Pode escrever!”.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Compartilhar postagem