Sociedade

Protesto do MST pelos 6 anos de impunidade em Mariana paralisa sede da Samarco

O rompimento da barragem do Fundão, em 2015, matou 19 pessoas, destruiu casas e contaminou o Rio Doce

Divulgação
Apoie Siga-nos no

Cerca de 500 trabalhadores ligados ao Movimentos dos Sem-Terra ocuparam, na manhã desta sexta-feira 5, a entrada da sede da mineradora Samarco, em Mariana.

O objetivo do protesto é denunciar a impunidade diante dos crimes cometidos por empresas como a Samarco, a Vale e BHP no estado de Minas Gerais. 

Nesta sexta, completam-se seis anos do rompimento da barragem de Fundão, maior desastre socioambiental do País no setor de mineração, que culminou na morte de 19 pessoas e o lançamento de cerca de 45 milhões de metros cúbicos de rejeitos no meio ambiente.

Além dos danos ambientais, o rompimento causou o isolamento de áreas habitadas, o desalojamento de comunidades pela destruição de moradias e estruturas urbanas, restrições à pesca e alterações na qualidade e quantidade de água disponíveis para as comunidades afetadas. 

Controlada pela Vale e pela BHP Billiton, a Samarco foi notificada 73 vezes e recebeu 25 autos de infração do Ibama até o momento, que totalizam R$350,7 milhões.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo