Política

Porto Alegre abre comporta para escoar água do centro

A medida facilita o retorno de águas do Guaíba ao leito natural

Foto: Rafa Neddermeyer/Agência Brasil
Apoie Siga-nos no

O Departamento Municipal de Água e Esgotos de Porto Alegre abriu na tarde desta sexta-feira 17 a comporta número 3, da Avenida Mauá, esquina com a Rua Padre Tomé. O objetivo da ação, que durou cerca de uma hora, é escoar água do centro histórico da cidade, local de concentração de comércio, bancos, museus e centros culturais, para o seu leito natural do Guaíba.

A medida foi tomada após uma análise técnica apontar redução de 40 centímetros no volume de água naquele ponto. Na manhã desta sexta, o Lago Guaíba estava no nível de 4,69 metros, ainda acima da cota de inundação, de 3 metros. O nível recorde do lago foi registrado em 6 de maio, quando bateu a marca de 5,33 metros.

Em nota, o diretor-geral do Demae, Maurício Loss, explicou que a abertura da comporta facilitará o escoamento da água e possibilitará o acesso às casas de bombas 17 e 18, no centro da cidade, para retomar a operação. “Com a diminuição do nível do Guaíba, identificamos uma diferença de 40 centímetros entre a água da Avenida Mauá em relação ao Cais, por isso conseguimos abrir a comporta e dar maior vazão ao fluxo.”

As comportas foram fechadas em 2 de maio para conter o avanço das águas do Lago Guaíba, que já inundavam a capital gaúcha. A medida resultou de falhas no sistema de contenção e de bombeamento pluvial, desde que as águas avançaram rumo ao centro da cidade.

A operação de abertura do portão contou com rebocador de navios, apoio da Guarda Civil Metropolitana de São Paulo e equipes do departamento municipal que administra o tratamento de água e esgotos.

Nos pontos onde a água baixou, a prefeitura de Porto Alegre recolheu 545 toneladas de resíduos diversos, entulhos e lodo, entre segunda e sexta desta semana. Somando-se às 365 toneladas da semana anterior, são 910 toneladas coletadas.

(Com informações da Agência Brasil)

ENTENDA MAIS SOBRE: , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo