Sociedade

Operação policial em Sergipe deixa sete mortos

A ação policial teve origem em uma denúncia anônima que apontava um presidiário como líder da organização criminosa, acusada de homicídios e tráfico de drogas

Carro da polícia em Pernambuco — Foto: Polícia Civil/Divulgação
Apoie Siga-nos no

Sete pessoas morreram e duas foram detidas nesta quarta-feira (29) em uma operação policial em Sergipe, Operação Cristianópolis Segura, para “desmantelar” um grupo criminoso acusado de homicídios, tráfico de drogas e roubos, informou a polícia do estado.

A operação, da qual participaram cerca de 100 agentes, aconteceu em Cristinápolis, município de 17 mil habitantes a cerca de 120 quilômetros da capital do estado, Aracaju.

“Sete investigados ligados a uma facção criminosa morreram”, confirmou a força em nota, que também mencionou dois mandados de prisão e 23 mandados de busca cumpridos, um deles no Complexo Penitenciário Manoel Carvalho Neto (Copemcan).

A ação policial teve origem em uma denúncia anônima que apontava um presidiário como líder da organização criminosa, acusada de homicídios e tráfico de drogas no município de Tomar do Geru, próximo a Cristinápolis, informou a polícia.

A região viveu este ano episódios de violência, com um homicídio consumado e cinco tentativas, “em razão da disputa pelo controle de pontos de vendas de entorpecentes”, segundo as autoridades, que supostamente teve com protagonista o grupo atingido pela operação nesta quarta-feira e outra facção criminosa.

As forças de segurança do país são frequentemente criticadas por organizações de direitos humanos por usarem força excessiva, especialmente contra a população negra.

Em 2022, 175 pessoas morreram durante intervenções policiais em Sergipe, o menor estado do Brasil, onde vivem 2,2 milhões de pessoas, segundo dados da Secretaria de Segurança do estado.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo