Sociedade

Nigeriano afirma não ter cedido imagem a vídeo divulgado pelo governo

Em um post nas redes sociais, Dammy Falade afirma que foi enganado: ‘me disseram que estavam fazendo um documentário sobre o Hino Nacional’

Apoie Siga-nos no

Um dos personagens que aparecem em um vídeo produzido pelo governo em comemoração ao Dia da Independência, o nigeriano Dammy Damilare Falade diz não ter cedido o uso de sua imagem para a Empresa Brasil de Comunicação (EBC), responsável pela produção da mídia. As informações são do jornal O Globo.

Na peça, o nigeriano aparece cantando um trecho do Hino Nacional ao lado de outras pessoas e integrantes do governo, como o próprio presidente Jair Bolsonaro, e os ministros da Educação, Abraham Weintraub, da Economia, Paulo Guedes, e da Justiça, Sérgio Moro. Falade afirma, no entanto, que foi enganado: “me disseram que estavam fazendo um documentário sobre o Hino Nacional, que existe muita gente que não sabe cantar e canta engraçado, e pediram para eu tentar cantar. Na vibe de amizades novas cantei dando risada, nos despedimos e continuei no meu caminho. Detesto tudo que esse governo representa”, publicou em seu Instagram.

Ver essa foto no Instagram

Olá amigos, Depois de várias mensagens que recebi de vários amigos e conhecidos, decidi fazer esse post esclarecendo os fatos. Primeiramente, DESTESTO TUDO QUE ESSE GOVERNO REPRESENTA. Desde a madrugada desse dia 7 de setembro, está passando um vídeo de propaganda político com a minha imagem. No dia 27 de agosto eu fui para Brasília, no consulado nigeriano para renovar meu passaporte vencido. Depois do compromisso no consulado eu ainda tinha muitas horas livres antes do meu voo de voltar para Salvador, então decidir turistar na cidade. Eu faço parte de um grupo de dança, e algum membro me pediu para dançar em um desses lugares públicos. Cheguei em frente do Museu Nacional, e vi um pessoal com câmeras, imaginei que eles fossem turistas também. Fui lá e dei meu celular para um deles me filmar dançando. Depois da minha dança, fui pegar meu celular de voltar e um deles me disseram que estavam fazendo um documentário sobre o hino nacional que existem muita gente que não sabem cantar e cantam engraçado, e pediram para eu tentar cantar. Na vibe de amizades novos cantei dando risada, nos despedimos e continuei no meu caminho. DETESTO TUDO QUE ESSE GOVERNO REPRESENTA. Obrigado sempre pelo carinho amigos..

Uma publicação compartilhada por Dammy Damilare Falade🇳🇬🇬🇧🇫🇷🇧🇷 (@profdammy) em

Questionada pela reportagem, a EBC respondeu que seus funcionários estavam devidamente identificados com uniformes e crachás quando convidaram o nigeriano a participar do vídeo, gravado em frente ao Museu Nacional de Brasília. Segundo a emissora, foi dito que  o vídeo institucional, sem fins comerciais, estava sendo produzido para divulgação da Presidência da República. A estatal, no entanto, não respondeu se o nigeriano autorizou o uso da imagem por escrito.

 

Falade afirmou que vai procurar um advogado “para saber quais são as medidas que pode adotar agora”. Procurada pela reportagem do Globo, a Secretaria de Comunicação (Secom) da Presidência disse que o Palácio do Planalto não se posicionará e se limitou a informar que a produção do vídeo foi gerenciada e executada pela EBC. A ideia de produzir o vídeo foi do secretário de comunicação, Fábio Wajngarten.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.