Sociedade

Mesmo com reforço na segurança, RN tem a terceira noite seguida de ataques

Novos casos de violência aconteceram na capital e em pelo menos oito outras cidades na madrugada desta quinta-feira

Homens da Força Nacional atuando na Grande Natal, durante a quarta-feira (15) — Foto: Gustavo Brendo/Inter TV Cabugi
Apoie Siga-nos no

O Rio Grande do Norte teve a terceira madrugada seguida de violência. Novos ataques foram registrados na capital, Natal, e em pelo menos em outras oito cidades nesta quinta-feira 16.

Segundo a polícia, os criminosos causaram incêndios em prédios públicos, comércios e veículos.

Na quarta-feira 15, ao menos 100 homens da Força Nacional foram deslocados para reforçar a segurança no estado. O ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, autorizou a intervenção da Força-Tarefa Penitenciária no sistema prisional do Rio Grande do Norte.

Desde o início das ações criminosas, na terça-feira 14, a polícia já prendeu 57 suspeitos e aprendeu armas, explosivos e galões de combustíveis. Os ataques foram registrados em ao menos 34 cidades.

Nesta quinta, um ônibus foi abordado na Zona Oeste de capital. Criminosos abordaram o veículo, determinando que motorista e passageiros saíssem e atearam fogo. Além do dano no veículo, a fiação elétrica da rua também foi danificada.

Segundo a prefeitura de Natal, os ônibus serão recolhidos às garagens, conforme decisão do sindicato que representa os motoristas. A operação de trens urbanos também foi suspensa após registros de ataques na linha férrea durante a noite.

Um galpão da companhia de coleta de lixo da capital e um posto de combustível também foram incendiados. Ainda no fim da noite desta quarta-feira 15, criminosos atearam fogo em um supermercado, na cidade de São Gonçalo do Amarante.

Em Macau, tiros foram disparados em frente à delegacia e o prédio das marisqueiras foi incendiado. Outras cidades também registraram ataques à bala contra delegacias e batalhões.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo