Política

Manifestantes sem-teto ocupam prédio da Bolsa de Valores contra Bolsonaro

O MTST levou cartazes contra a alta de lucros de empresários em meio ao aumento da fome e da pobreza

Protesto do MTST reuniu centenas de manifestantes na Bolsa de Valores, em São Paulo. Foto: Arquivo
Protesto do MTST reuniu centenas de manifestantes na Bolsa de Valores, em São Paulo. Foto: Arquivo

O Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto ocupou o prédio da Bolsa de Valores, no centro de São Paulo, nesta quinta-feira 23, em manifestação contra o governo do presidente Jair Bolsonaro. Pelo menos 200 pessoas participaram do ato.

O objetivo do protesto, segundo uma nota da organização, é denunciar “os lucros recordes dos bancos, o aumento de grandes fortunas e o surgimento de 42 novos bilionários” enquanto “a insegurança alimentar atinge mais de 116 milhões de pessoas e a fome já é uma realidade para mais de 19 milhões”.

Participantes do ato levaram cartazes com dizeres como “Sua ação financia nossa miséria”, “Tem gente ficando mais rica com a nossa fome” e “Tá tudo caro! A culpa é do Bolsonaro”. Alguns manifestantes levaram ossos, em referência à dificuldade de comprar carnes devido ao aumento do preço de itens da cesta básica.

Vídeos mostram participantes protestando com panelaços, enquanto alguns aparecem de pé sobre o balcão no espaço principal do prédio da Rua Quinze de Novembro. Segundo relatos a CartaCapital, foi desligada uma tela que exibe as variações do mercado financeiro e os tickers, códigos das ações registradas na Bolsa.

Após cerca de uma hora, a Polícia Militar chegou ao local para que os manifestantes encerrassem o ato. A B3, empresa que gerencia a Bolsa, declarou que “a manifestação ocorreu de forma pacífica” e que não houve impacto para as operações de mercado.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!