Maioria dos eleitores arrependidos de Bolsonaro deve votar em Lula, revela pesquisa

Levantamento sobre o bolsonarismo no Brasil mostra que os arrependidos rejeitam o presidente porque se sentem traídos e decepcionados

Maioria dos eleitores arrependidos de Bolsonaro deve votar em Lula, revela pesquisa

Política,Sociedade

A maioria dos eleitores que votaram no presidente Jair Bolsonaro em 2018 e se arrependeram deve optar pelo ex-presidente Lula no pleito de 2022. É o que revela a pesquisa inédita Bolsonarismo no Brasil divulgada nesta sexta-feira 20.

De acordo com o levantamento, os arrependidos manifestam altíssima rejeição a Bolsonaro, expressa pelos sentimentos de traição e de decepção.

“Diversos entrevistados afirmam que se trata do “maior arrependimento da vida”. Uma parcela desses eleitores gostaria de uma terceira via, pois também não desejam votar em Lula (ou no PT). Contudo, uma expressiva maioria defende de modo convicto o voto em Lula (especialmente no 2ºturno)”, diz o documento.

“Chama atenção que tais eleitores narram as conquistas do governo Lula de modo nostálgico. Já os apoiadores moderados afirmam que seguem votando em Bolsonaro se a situação continuar como está, enquanto os mais fiéis – geralmente evangélicos – não mudariam o voto em nenhuma circunstância.”

 

 

A pesquisa aponta ainda que maioria dos participantes — em todas as cidades — não conhecia Bolsonaro antes da campanha de 2018.

“A maioria expressiva dos entrevistados foi motivada pelo antipetismo e pelo desejo de ruptura com a classe política tradicional, vista como corrupta e auto interessada”,  revela o levantamento. “Dentre o segmento de arrependidos da classe A/B esse sentimento de repúdio da política tradicional continua forte para a orientação do voto.”

O levantamento foi realizado pelo Laboratório de Estudos de Mídia e Esfera Pública, o Lemep para o Instituto para Reforma das Relações entre Estado e Empresa (IREE).

Confira a íntegra:

BOLSONARISMO_NO_BRASIL (1)

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Editor do site de CartaCapital. Twitter: Alisson_Matos

Compartilhar postagem