Sociedade

Lewandowski renova presença da Força Nacional no Rio Grande do Sul por mais 30 dias

Os 300 agentes continuarão no RS até o próximo dia 16 de junho

Foto: Rafa Neddermeyer/Agência Brasil
Apoie Siga-nos no

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Lewandowski, decidiu nesta sexta-feira 17 prorrogar por mais 30 dias a presença da Força Nacional no Rio Grande do Sul.

Os 300 agentes da Força Nacional continuarão atuando nas ações de policiamento ostensivo e de busca e salvamento até o próximo dia 16 de junho.

No momento, as operações estão focadas no patrulhamento e salvamento de embarcados, reconhecimento terrestre, apoio à Brigada Militar (Polícia Militar gaúcha) e ao Corpo de Bombeiros, além de abordagens terrestres e aquáticas para resgate de pessoas e animais ilhados.

A equipe de polícia técnico-científica tem atuado na identificação de vítimas, por meio da coordenação da Identificação de Vítimas de Desastres e no auxílio ao Departamento Médico-Legal, visando ampliar a capacidade de prestação de serviço desse órgão.

Ao todo o Ministério da Justiça e Segurança Pública já encaminhou mais de mil servidores para atuação no Rio Grande do Sul.

Os agentes federais atuam nas áreas atingidas pelas enchentes com o suporte de cinco helicópteros, 21 embarcações de resgate e 18 botes de resgate.

Também estão sendo utilizados na força-tarefa federal 11 jetskis e mais de 200 viaturas (entre viaturas comuns, viaturas-reboque, caminhonetes especiais, caminhões e ônibus).

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo