Elza Soares, Gilberto Gil, Conceição Evaristo: as personalidades excluídas pela Fundação Palmares

Justiça dá prazo de cinco dias para que Sérgio Camargo explique retirada de 27 nomes

Sérgio Camargo, ao lado do presidente Jair Bolsonaro. Foto: Twitter/Sergio Camargo

Sérgio Camargo, ao lado do presidente Jair Bolsonaro. Foto: Twitter/Sergio Camargo

Política,Sociedade

O presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, anunciou na quarta-feira 2 os nomes excluídos da lista de Personalidades Negras da Fundação Palmares. Ao todo foram excluídas 27 personalidades, como Benedita da Silva, Elza Soares, Conceição Evaristo e Gilberto Gil.

 

 

Camargo chegou a divulgar uma lista com 29 nomes, entre os quais constavam os de Madame Satã (João Francisco dos Santos), artista que se tornou um símbolo LGBT no Rio de Janeiro, morto em 1976,  e o de Melânia Luz, velocista, primeira mulher negra a participar de uma delegação olímpica brasileira. A lista, no entanto, foi atualizada e os nomes foram suprimidos.

A Fundação Palmares afirmou que a exclusão cumpre determinação de portaria que entrou em vigor neste mês, instituindo o critério de homenagens póstumas – ou seja, apenas pessoas negras já mortas podem ser homenageadas.

 

 

Em suas redes sociais, Sérgio Camargo disse que a Fundação Palmares presta homenagens póstumas “a quem tem valor” e comemorou a estreia de Mussum e Nego do Bope na lista. O policial faleceu em janeiro após ser baleado em confronto na comunidade do Caju, zona portuária do Rio de Janeiro.

 

 

 

Projetos pedem anulação da portaria

Ao menos dois projetos que tramitam na Câmara dos Deputados pedem o cancelamento da portaria publicada pela Fundação Palmares. Um deles é de autoria do do deputado federal José Guimarães (PT-CE), que entende que a lista só serve para excluir nomes que não apoiam o governo do presidente Jair Bolsonaro.

Ele também criticou o fato de a portaria não prever a participação de representantes da sociedade civil na escolha dos nomes que serão homenageados pela Fundação Palmares.

Outro projeto que pede o cancelamento da portaria foi protocolado pelo deputado Túlio Gadêlha (PDT-PE) e mais quatro parlamentares da Casa — Bira do Pindaré (PSB), Maria do Rosário (PT), Áurea Carolina (PSOL) e Perpétua Almeida (PCdoB).

 

Justiça pede que Sérgio Camargo explique exclusão de personalidades

Na quarta-feira 2, a Justiça Federal da 1ª Região estabeleceu um prazo de cinco dias para que o presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, explique a retirada de nomes da lista de Personalidades Negras que integravam um rol de homenageados pela entidade.

Criada em 1988, a Fundação Palmares deve atuar pela promoção e preservação dos valores culturais, históricos, sociais e econômicos decorrentes da influência negra na formação da sociedade brasileira.

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem