Política

Confira o antes e o depois das enchentes no RS em imagens de satélite

O Ministério da Justiça autorizou o uso das imagens por prefeituras e órgãos públicos do estado

Registro de satélite de Porto Alegre em 6 de maio de 2024. Foto: Divulgação/Governo Federal
Apoie Siga-nos no

O Ministério da Justiça autorizou o uso de imagens de satélite por prefeituras e órgãos públicos no Rio Grande do Sul, a fim de auxiliar o enfrentamento às enchentes históricas que castigam o estado desde o fim de abril.

O acesso gratuito estará à disposição de todos os municípios cujo decreto de calamidade pública foi reconhecido pelo governo federal. Órgãos da gestão estadual também podem solicitar as imagens.

O programa integra o Sistema Único de Segurança Pública, o Susp. Segundo o ministério, trata-se da maior iniciativa operacional de sensoriamento remoto do País, fornecendo imagens diárias de satélite em alta resolução de todo o Brasil, além de alertas automáticos para crimes ambientais.

Chamado de Brasil Mais, o programa é financiado pelo Fundo Nacional de Segurança Pública, por meio da Secretaria Nacional de Segurança Pública e da Polícia Federal.

Conforme o mais recente balanço da Defesa Civil gaúcha, há 77.199 pessoas em abrigos e 540.192 desalojadas. O órgão contabiliza 151 mortos, 104 desaparecidos e 806 feridos.

Confira imagens de antes e depois das enchentes em municípios gaúchos obtidas pelo Brasil Mais:

Porto Alegre:

Eldorado do Sul:

Canoas:

Estrela:

São Leopoldo:

Roca Sales:

Guaíba:

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo