Política

Como vai funcionar o teste das urnas eletrônicas que o TSE fará nesta semana

O chamado Teste Público de Segurança é um procedimento padrão e recorrente da Justiça Eleitoral

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
Apoie Siga-nos no

O ministro do Tribunal Superior Eleitoral, Alexandre de Moraes, confirmou na noite de ontem que, a partir desta quarta-feira 15 até a próxima sexta-feira 16, serão feitos testes de segurança nas urnas eletrônicas do país.

O chamado Teste Público de Segurança é um procedimento padrão e recorrente da Justiça Eleitoral, sendo feito para refinar os instrumentos de segurança e corrigir eventuais falhas.

Nesta semana, os testes serão feitos por investigadores da Polícia Federal e da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Basicamente, eles vão avaliar os resultados de testes feitos entre o fim de novembro e o começo de dezembro do ano passado, buscando saber se os avanços do procedimento anterior foram capazes de dar aprimoramento às urnas eletrônicas.

O teste do ano passado, aliás, não encontrou falhas substanciais nas urnas do país. O relatório do grupo de investigação apontou, por exemplo, que os ataques realizados às urnas eletrônicas não foram capazes de fragilizar o sigilo do voto.

Entretanto, o grupo apontou possíveis falhas, a exemplo da inicialização da urna. Ao iniciar, a urna enviava uma mensagem de erro que não estava prevista. 

O passo a passo dos testes

O procedimento desta semana vai executar os programas de controle de hardware – também conhecido como firmwares – dos modelos de 2020 e 2022 da urna eletrônica. O sistema de mídia também será executado.

Especificamente, os seguintes itens serão testados:

– Gerenciador de Dados, Aplicativos e Interface com a Urna Eletrônica;

– Kit JE-Connect;

– Software de Carga;

– Software de Apuração

– Software de Votação.

No processo, a PF vai replicar testes feitos no final do ano passado, a fim de corrigir, como mencionado, as inconsistências. 

Além disso, os agentes vão tentar acessar a área em fica se localizam os sistemas usados nos computadores que servem de suporte para a preparação das urnas eletrônicas.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo