Política

Água sobe pelos bueiros e volta a inundar áreas de Porto Alegre em dia de forte chuva

Segundo o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais, o volume de chuva em 15 horas ultrapassou os 100 milímetros na zona sul

Forte chuva atinge a cidade de Porto Alegre desde a madrugada desta quinta-feira 23. Créditos: Anselmo Cunha / AFP
Apoie Siga-nos no

Uma forte chuva que atingiu Porto Alegre (RS) desde o início da madrugada desta quinta-feira 23 voltou a deixar ruas e bairros alagados.

Segundo o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais, o volume de precipitação em 15 horas ultrapassou os 100 milímetros na zona sul da capital do Rio Grande do Sul.

Em alguns bairros, a água subiu pelos bueiros e houve alagamento de áreas que ainda não haviam sido impactadas. O diretor do Departamento Municipal de Água e Esgoto, Maurício Loss, afirmou que o barro levado pelas enchentes secou e acabou por trancar as galerias pluviais.

Ainda de acordo com o órgão, apenas 10 das 23 estações de drenagem estão em funcionamento, devido às enchentes e ao acúmulo de lixo.

Houve registros de problemas nas zonas central, norte e sul da capital, em bairros como Centro Histórico, Menino Deus, Cidade Baixa, Praia de Belas, Ipanema, Cavalhada, São Geraldo, Moradas da Hípica, Santa Fé e Restinga. Não há um levantamento oficial sobre quantos bairros foram afetados.

A Empresa Pública de Transporte e Circulação informou 86 ocorrências de alagamento: 55 ruas e avenidas bloqueadas totalmente e 23 parcialmente fechadas.

O prefeito Sebastião Melo (MDB) afirmou que, apesar dos impactos, a chuva não pegou a cidade de surpresa.

“A prefeitura não foi pega de surpresa, nós sabíamos que ia chover. Mas, agora, a quantidade de chuva foi excessivamente forte”, declarou. “Aquilo que era um problema das áreas alagadas estendeu-se, praticamente, a toda cidade com essa chuvarada.”

Diante do cenário, a prefeitura suspendeu as aulas nas redes pública e privada na sexta-feira 24.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo