Sociedade

7º dia de buscas: sinal de celular indica que fugitivos de Mossoró estão na divisa com o Ceará

Aparelhos monitorados foram roubados pelos bandidos após a fuga

Rogério e Deibson, a dupla que fugiu de presído em Mossoró. Foto: Divulgação/Secretaria Nacional de Políticas Penais
Apoie Siga-nos no

Investigações sobre a fuga dos dois presos da penitenciária de segurança máxima de Mossoró, no Rio Grande do Norte, indicam que os fugitivos podem estar em uma área rural, perto da divisa com o Ceará.

Rogério da Silva Mendonça, de 35 anos, e Deibson “Tatu” Cabral Nascimento, de 33, fugiram do presídio na última quarta-feira 14.

A localização estimada da dupla foi feita pela geolocalização de dois celulares roubados pelos criminosos após a fuga. A localização pode não ser precisa, já que investigadores suspeitam que os aparelhos tenham ficado sem bateria.

Os investigadores acreditam que os dois criminosos permanecem na região e não conseguiram abrir muita distância do local do presídio.

Segundo relatos dos moradores que foram feitos de reféns pela dupla ainda na sexta-feira 16, os criminosos assistiram notícias sobre a fuga e se comunicaram com outras pessoas que poderiam estar no Rio de Janeiro. Eles pediam informações sobre a melhor rota para chegar ao Ceará.

Ao todo, cerca de 500 agentes participam da operação de recaptura dos presos, que entra no seu sétimo dia nesta terça-feira 20. Helicópteros, drones e cães farejadores também atuam nas buscas.

Nesta segunda-feira 19, o ministro da Justiça e da Segurança Pública, Ricardo Lewandowski, autorizou o envio de 100 agentes e 20 viaturas da Força Nacional ao Rio Grande do Norte a fim de intensificar as buscas.

No domingo 18, Lewandowski confirmou que a dupla usou uma barra de ferro retirada de uma das paredes para deixar a cela, o que indica má conservação.

Duas investigações estão em andamento: uma de caráter administrativo, para apurar as responsabilidades internas pela fuga; e outra da Polícia Federal, que mira possíveis facilitadores da ação.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo