“Quem é contra o isolamento ajuda a fazer a contagem dos mortos”, diz Doria

O governador teceu críticas ao presidente Jair Bolsonaro que vem causando aglomerações no País . SP segue abaixo da média de isolamento

Governador João Doria. Foto: AFP Photos

Governador João Doria. Foto: AFP Photos

Saúde

O Estado de São Paulo segue pelo nono dia consecutivo com taxas de isolamento social abaixo do recomendado durante a pandemia do coronavírus. As taxas em todo o Estado, na terça-feira 5, ficaram em 47% e na capital em 48%. Os índices ficam abaixo da média de 50 a 60% esperada para o momento.

“Nenhuma medida de flexibilização será tomada se não atingirmos a média”, reafirmou o governador João Doria em coletiva nesta quarta-feira 6. O governador criticou a postura do presidente Jair Bolsonaro que segue promovendo aglomerações aos finais de semana. “Ele segue dando mal exemplo a toda a população, negando a ciência e comprometendo a medida do isolamento”, criticou.

“Agora não é hora de misturar eleição, partido, ideologia, vontades políticas. É o momento de todos estarmos concentrados na defesa e promoção da vida. Não é hora de fazer comícios em cemitérios. O vírus não escolhe CEP, cor, idade, sexo, filiação ou partido, atinge todos”, continuou o governador.

“Jogar com a torcida não é encher ruas, nem estádios, não é a busca pela popularidade. Quem é contra o isolamento está ajudando a lotar hospitais, colapsar a saúde e fazer a contagem dos mortos que serão enterrados”, acrescentou.

Doria reforçou o pedido para que as pessoas se mantenham em casa. “Estar isolado em casa é estar protegido contra a morte. Não siga nenhuma outra orientação que vá contrariamente às medidas da medicina, da saúde, da Organização Mundial da Saúde, e da maioria expressiva dos 213 países do mundo. Dos 213, 209 mandatários recomendam o isolamento social. Apenas dois ditadores orientam diferentemente a sua população, o ditador da Bielorússia, o ditador da Nicarágua, na América Central, e o presidente Jair Bolsonaro”, declarou.

O estado de São Paulo tem 3045 mortos por coronavírus e 37.853 casos. A partir da quinta-feira, o estado decretará luto oficial que vai durar, segundo o governador, enquanto a crise e a pandemia perdurarem. O estado tem uma taxa de 67,2% de ocupação de UTI. Na Grande São Paulo, a taxa é de 86,5%. Ainda de acordo com o governo, São Paulo não tem exames de coronavírus na fila e está em dia com a testagem.

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site CartaEducação

Compartilhar postagem