OMS diz que coronavírus “nos acompanhará por muito tempo”

'Acho que declaramos emergência no momento oportuno', analisou Tedros, acusado pelos EUA de excessiva benevolência com Pequim

Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS - Foto: Fabrice COFFRINI/AFP

Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS - Foto: Fabrice COFFRINI/AFP

Saúde

O mundo está longe de vencer o novo coronavírus, que já causou quase 180 mil mortes, alertou o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus.

“Não se enganem: ainda temos um longo caminho a percorrer. Esse vírus nos acompanhará por um longo tempo”, afirmou nesta quarta-feira 22, em entrevista virtual.

A OMS tomou as decisões corretas quando esse novo coronavírus surgiu na China, disse Tedros Adhanom Ghebreyesus.

“Em retrospectiva, acho que declaramos a emergência no momento oportuno”, em 30 de janeiro, considerou o diretor-geral, acusado pelos Estados Unidos de excessiva benevolência em relação a Pequim.

O mundo “teve tempo suficiente para responder” a essa emergência de saúde, disse ele.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Compartilhar postagem