Saúde

Mundo tem mais de 60 milhões de casos do novo coronavírus

Estados Unidos têm 13 milhões de casos confirmados no total, mais de um quinto de todos os diagnósticos positivos no mundo

Americanos em Nova York (Foto: TIMOTHY A. CLARY / AFP) Americanos em Nova York (Foto: TIMOTHY A. CLARY / AFP)
Americanos em Nova York (Foto: TIMOTHY A. CLARY / AFP) Americanos em Nova York (Foto: TIMOTHY A. CLARY / AFP)

Mais de 60 milhões de casos do novo coronavírus foram oficialmente registrados no mundo desde o início da pandemia, segundo contagem da AFP às 15h30 desta quarta-feira 25, horário de Brasília, com base em balanços feitos por autoridades.

No total foram detectados 60.014.291 casos, dos quais 1.415.258 terminaram em óbitos, desde o início da pandemia em dezembro passado, na China.

A Europa, com 17,1 milhões de casos confirmados (com cerca de 388.000 mortes), é a região com mais diagnósticos positivos atualmente, embora sua progressão esteja se desacelerando.

Nos últimos sete dias, foram registrados 1,7 milhão de casos nos 52 países da região europeia, 10% a menos do que na semana anterior.

Os Estados Unidos estão em plena terceira onda de Covid-19. Têm 13 milhões de casos confirmados no total (com mais de 260.000 mortos), ou seja, mais de um quinto de todos os casos registrados no mundo. Em uma semana, o número de positivos aumentou 11% (mais de 1,2 milhão de casos) em relação à anterior (1,1 milhão).

Depois da Europa e dos Estados Unidos e Canadá (juntos somam mais de 13 milhões de contágios detectados, 272.183 óbitos), seguem a América Latina e o Caribe (12,6 milhões, 438.098), e Ásia (12,1 milhões, 190.108).

Em seguida, vêm Oriente Médio (3,2 milhões de casos, 75.700 mortes), África (2,1 milhões, 50.422) e Oceania (mais de 30.000 casos, 941 mortes).

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!