Mundo

Morre o primeiro paciente a receber transplante de rim de porco geneticamente modificado

Rick Slayman sofria de diabetes tipo 2 e hipertensão

Equipe médica nos EUA realiza primeiro transplante de rim de porco a um paciente vivo. Foto: AFP PHOTO / Massachusetts General Hospital/Michelle ROSE
Apoie Siga-nos no

O primeiro paciente vivo a receber um transplante de rim de porco geneticamente modificado morreu, anunciou o hospital americano Massachusetts General Hospital, que realizou a intervenção cirúrgica.

“O Mass General está profundamente triste com o falecimento repentino do Sr. Rick Slayman. Não temos nenhuma indicação de que tenha sido resultado de seu recente transplante”, afirmou a unidade médica em comunicado.

Em março, cirurgiões deste hospital realizaram um procedimento sem precedentes no mundo durante cerca de quatro horas neste homem de 62 anos que sofria de uma doença renal terminal.

O Massachusetts General Hospital declarou no sábado que “Slayman será para sempre lembrado como uma luz de esperança para inúmeros pacientes transplantados em todo o mundo e estamos profundamente gratos a ele por sua confiança e disposição para avançar no setor de xenotransplante”.

A escassez de órgãos é um problema crônico no mundo e o hospital de Boston declarou em março que tinha mais de 1.400 pacientes na lista de espera para um transplante de rim.

O órgão do porco utilizado neste transplante foi fornecido pela empresa de biotecnologia de Massachusetts eGenesis, que o modificou geneticamente para remover genes nocivos e adicionar alguns genes humanos, afirmou o centro médico.

Rick Slayman, que sofria de diabetes tipo 2 e hipertensão, havia recebido um rim humano em 2018, mas este órgão começou a parar de funcionar cinco anos depois e o paciente passou a realizar diálises.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo