Política

Lula: Se Bolsonaro tivesse grandeza, pediria perdão pelas mortes por Covid

Para o ex-presidente, os mais de 300 mil óbitos no Brasil são ‘o maior genocídio’ na história do País

(Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)

As mais de 300 mil mortes por coronavírus no Brasil são “o maior genocídio” na história do País, denunciou ex-presidente Lula em uma entrevista à revista alemã Der Spiegel, na qual afirmou que o atual presidente, Jair Bolsonaro, deveria “pedir perdão”.

“Na terça-feira, 3.158 pessoas morreram por Covid no Brasil. Este é o maior genocídio de nossa história. Nossa atenção não deve estar nas eleições do próximo ano, e sim na luta contra o vírus e na vacinação da população. Temos que salvar o Brasil do coronavírus”, disse Lula à revista.

O Brasil é o segundo país com mais mortes provocadas pela Covid-19, depois dos Estados Unidos. Mais de 12 milhões de brasileiros foram infectados pelo coronavírus, incluindo Bolsonaro, presidente de extrema-direita e um cético que sempre minimizou os riscos do vírus.

Na quinta-feira 25, o País registrou pela primeira vez mais de 100 mil novos contágios em um dia.

“Um presidente não pode saber tudo, mas ele (Bolsonaro) deveria ter a humildade de consultar pessoas que sabem mais do que ele”, afirmou Lula, 75 anos, que pode ser candidato nas eleições de 2022.

Ele recuperou os direitos políticos depois que as condenações por corrupção contra ele foram anuladas pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF). Lula sempre alegou inocência em todas as acusações.

De acordo com o ex-presidente, Bolsonaro deveria se reunir com cientistas, médicos, governadores e ministros de Saúde para traçar um plano para derrotar a Covid. Bolsonaro, mesmo que agora use máscara, “não leva a Covid a sério”, insistiu Lula.

“Ele não acredita nas vacinas, gastou uma fortuna em um medicamento chamado hidroxicloroquina, embora tenha sido demonstrado que não servia”, completou, sem poupar críticas a Bolsonaro.

“Durante um ano ele não levou o vírus a sério e nos contou mentiras. Durante um ano ele provocou todos os que não concordavam com ele”, acrescentou.

“Se tivesse um pouco de grandeza, ele deveria pedir perdão às famílias dos 300 mil mortos por Covid e dos milhões de infectados”, disse.

Esta semana, Lula obteve uma nova vitória quando a segunda turma do STF concluiu que o ex-juiz Sergio Moro, responsável pelos processos do ex-presidente, foi “parcial”.

“É nossa responsabilidade, como brasileiros, parar este homem e restaurar a democracia no país”, declarou Lula, para quem “nunca em nossa história tivemos um presidente tão irresponsável”.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!