Itália registra 250 mortes por coronavírus em 24 horas

De acordo com balanço desta sexta-feira 13, número de óbitos por conta do Covid-19 no país chegou a 1.266

Foto: MIGUEL MEDINA/AFP

Foto: MIGUEL MEDINA/AFP

Saúde

A Itália registrou 250 novas mortes ligadas ao coronavírus em 24 horas, um novo recorde, que eleva o número de óbitos no país a 1.266, segundo balanço publicado nesta sexta-feira 13 pela Proteção Civil.

A Itália, o país mais afetado do mundo depois da China, também viu o número de pessoas infectadas saltar em seu território: passou de 15.113 para 17.660, incluindo 1.328 em terapia intensiva.

Venezuela anuncia primeiros casos

A Venezuela anunciou nesta sexta-feira 13 os dois primeiros casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus. Os pacientes são uma mulher venezuelana de 41 anos, que havia visitado os Estados Unidos, Itália e Espanha, e outro nacional de 52 anos, que esteve na Espanha, ambos domiciliados no estado de Miranda (norte), que cobre a parte leste de Caracas.

“Esses dois casos já estão absolutamente isolados, contatos diretos são determinados e toda a rede de contatos indiretos está sendo verificada”, disse Rodríguez. Paralelamente, o governo suspendeu as aulas “em todos os níveis” no país a partir da próxima segunda-feira.

O Ministro do Interior e da Justiça, General Nestor Reverol, entretanto, indicou que a máscara será obrigatória em “todos os pontos de controle de fronteira de pedestres” com a vizinha Colômbia e Brasil, ambos com casos relatados. A vice-presidente reiterou que “todos os tipos de reuniões públicas” estão proibidas.

A nova pandemia de coronavírus afeta mais de uma centena de países, já causou mais de 5 mil mortes em todo o mundo e o número de infectados continua a crescer.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Compartilhar postagem