Governo Bolsonaro é reprovado por 43% e vacina é principal motivo, diz pesquisa

Segundo estudo Exame/Idea, 31% consideram a gestão do ex-capitão ótima ou boa

(Foto: Isac Nóbrega/PR)

(Foto: Isac Nóbrega/PR)

Saúde

O governo do presidente Jair Bolsonaro é avaliado como ruim ou péssimo por 43% da população. Os dados são de uma pesquisa Exame/Ideia publicada nesta sexta-feira 12.

Além dos 43% críticos à gestão do ex-capitão, 31% que a veem como ótima ou boa e 24% a julgam como regular. Outros 2% não souberam responder.

Em relação ao trabalho do presidente no exercício do cargo, o índice de desaprovação é de 44% contra aprovação de 27%. Outros 26% não optaram categoricamente por nenhuma das duas opções. E 3% não soube responder.

Reverter essa cifra, para a maioria dos entrevistados, depende de quanto aumentará o ritmo da vacinação contra a Covid-19 no País. Cerca de 65% acreditam que a campanha de imunização está atrasada, e a maioria (24%) diz não saber quando será vacinada.

 

 

 

“Um tema unifica o país: a sensação de atraso na vacinação contra a covid-19. Entre os que desaprovam o presidente Bolsonaro, esse número alcança 78%. Podemos inferir que a vacinação seguirá sendo a variável chave da avaliação presidencial”, afirmou à pesquisa Maurício Moura, fundador do Instituto Ideia.

Com isso, 73% acreditam que o governo Bolsonaro deve acelerar o ritmo de vacinação contra a Covid-19. O estudo trata também da percepção do brasileiro sobre a volta do auxílio emergencial: 27% acreditam que voltar a pagar o auxílio emergencial seja o “trunfo” para aumentar a avaliação do governo. Para 66%, o benefício deve voltar a ser pago ainda nesse semestre.

Sobre o auxílio, 57% dos que ganham até um salário-mínimo acreditam que o auxílio emergencial será renovado, enquanto a taxa geral é de 48%.

Foram entrevistados 1.200 brasileiros com prevalência de 42% da região Sudeste e 30% pertencente à classe C, maior categoria informada.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

É repórter do site de CartaCapital.

Compartilhar postagem