Saúde

Fiocruz aponta aumento em casos de síndrome respiratória aguda grave no País

Capitais como Belo Horizonte, Campo Grande, Maceió e Salvador estão em grupo com forte tendência de aumento dos casos

Foto: AFP.
Foto: AFP.

O boletim de monitoramento semanal Infogripe, produzido pela FioCruz e divulgado na terça-feira 24, apontou uma tendência de aumento em todo o País nos casos de síndrome respiratória aguda grave (SRAG). É a primeira tendência de alta desde julho para todo o território brasileiro. O levantamento considerou números registrados até sábado 21.

 

Embora a SRAG possa ser causada por vários vírus respiratórios,  dados da fundação indicam que, neste ano, quase 98% dos casos no país têm o vírus da Covid-19 (Sars-CoV-2) como causa.

Ainda de acordo com a FioCruz, 12 das 27 capitais brasileiras têm sinal moderado ou forte de que houve crescimento de casos nas últimas 6 semanas.

Entre o grupo com sinal forte de aumento de síndrome respiratória estão: Belo Horizonte, Campo Grande, Maceió e Salvador. Já entre o grupo das capitais com sinal moderado: Curitiba, Natal, Palmas, Plano piloto de Brasília e arredores (Região de Saúde Central do DF), Rio de Janeiro, São Luís, São Paulo e Vitória.

Segundo a fundação, também aumentou o número de capitais sob alerta de crescimento a longo prazo. De sete capitais no início de outubro passou a dez no fim do mês e, agora, 12.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!