Secretarias de saúde apontam 1.241 mortes por coronavírus no Brasil

Órgãos estaduais também contabilizam 22.318 casos confirmados da covid-19 no País

(Foto: Andréa Rêgo Barros/PCR)

(Foto: Andréa Rêgo Barros/PCR)

Saúde

Os infectados pelo coronavírus chegam a 22.318 casos no Brasil, segundo informado pelas secretarias estaduais de saúde nesta segunda-feira 13. O número de óbitos, até o momento, é de 1.241, com maior concentração nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Pernambuco. Os dados foram compilados pelo portal Bem Estar.

Os números são ligeiramente maiores do que os oficiais, divulgados pelo Ministério da Saúde pela última vez na noite no domingo 12. Segundo a pasta, havia 22.169 casos confirmados e 1.223 mortes. O índice de letalidade no país é de 5,5%.

Desde o começo dos casos no Brasil, a região Sudeste segue à frente, com 787 mortes e 12.799 casos. São Paulo possui, até o momento, 588 mortes e 8.755 contaminações. Segundo o governo paulista, o índice de isolamento no estado não atingiu a meta neste fim de semana. No sábado 11, o isolamento social foi de apenas 55%, segundo informado pelo Sistema de Monitoramento Inteligente do estado.

 

O Nordeste é a segunda região do Brasil com mais mortes (246) e casos (4.246). Pernambuco é terceiro estado no Brasil com maior índice de falecimentos (85) e contágios (960). Em seguida, vem o Ceará, com 74 mortes e 1.676 pacientes.

Terceira região brasileira com maior letalidade, o Norte soma 87 mortes e 1.898 casos identificados. O Amazonas é a unidade federativa nortista mais preocupante: com 62 óbitos e 1.206 casos, o estado já tem a sua capital Manaus em colapso no sistema de saúde. A região Sul aparece em quarto lugar, com 70 mortes e 2.159 casos. Por último, o Centro-Oeste informou 33 mortes e 1.067 contaminados.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem