Brasil tem 299 mortes e 7,9 mil casos de coronavírus, diz Ministério

Só o estado de São Paulo tem 188 mortes e 3,5 mil infectados

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e o secretário João Gabbardo dos Reis. Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e o secretário João Gabbardo dos Reis. Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Política,Saúde

O Ministério da Saúde confirmou 299 mortes e 7.910 casos de coronavírus no Brasil, nesta quinta-feira 2. São 58 óbitos e 1.074 infectados a mais que o anunciado pela pasta no dia anterior, quando foram identificados 241 falecimentos e 6.836 pacientes.

A região Sudeste, mais afetada pela doença, contabiliza 234 mortes e 4.988 casos identificados. Só no estado de São Paulo, 188 morreram e 3.506 foram contaminadas. No Rio de Janeiro, são 41 óbitos e 992 casos; em Minas Gerais, 4 mortes e 370 casos; e no Espírito Santo, 1 morte e 120 contagiados.

Região em segundo lugar, o Nordeste registrou 43 mortes e 1.180 casos. O estado com mais falecimentos é o Ceará, com 20 óbitos e 550 infectados, seguido de Pernambuco, com 9 mortes e 106 casos, e Piauí, com 4 mortes e 19 casos.

O Sul tem 11 mortes e 833 infecções, com 5 mortes no Rio Grande do Sul, 4 no Paraná e 2 em Santa Catarina. A região Centro-Oeste tem 6 mortes e 532 infecções, sendo 4 óbitos apenas no Distrito Federal. Os estados do Norte somam 5 falecimentos e 377 contaminações.

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, voltou a expor sua preocupação com os estoques de equipamento de proteção individual hospitalares. Segundo ele, o sistema de saúde está iniciando um processo de estresse e passará por turbulência durante 60 a 90 dias.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem