Baseado em boato, Bolsonaro acusa estados de inflar dados sobre coronavírus

Presidente tratou como verdadeiro um relato sobre um homem que teria morrido pelo estouro de um pneu e atestado acusou covid-19

O apresentador Sikêra Junior entrevistou o presidente Jair Bolsonaro. Foto: Reprodução/RedeTV!

O apresentador Sikêra Junior entrevistou o presidente Jair Bolsonaro. Foto: Reprodução/RedeTV!

Política,Saúde

O presidente Jair Bolsonaro se baseou em uma informação distorcida para acusar governadores de inflar o número de mortes por coronavírus nos estados. Ao sustentar a queixa sobre os gestores estaduais, o chefe do Palácio do Planalto tratou como verdadeiro um relato sobre um borracheiro que teria morrido pelo estouro de um pneu, e um atestado teria registrado a covid-19 como causa do óbito.

A declaração de Bolsonaro ocorreu durante entrevista por telefone ao programa Alerta Nacional, da emissora RedeTV!, nesta segunda-feira 30. Quem citou primeiro a história do borracheiro foi o apresentador Sikêra Junior.

“Eu vou dar um exemplo do que aconteceu no final de semana, em Pernambuco. Vamos conferir se procede. Um borracheiro consertando, trocando um pneu, estourou o pneu no rosto dele, a calota, enfim, o pneu. E, no atestado de óbito dele, colocaram como coronavírus. O senhor tem conhecimento disso? Se realmente estão botando na conta do vírus?”, perguntou o apresentador.

Em resposta, Bolsonaro não desmentiu o fato e disse que chefes dos estados estão interessados em mentir sobre os índices de mortalidade para ganharem respaldo às medidas que têm adotado.

“É, temos conhecimento desse fato específico, como de outros. Parece que há interesse por parte de alguns governadores em inflar o número dos óbitos vitimados do vírus. E daí daria mais respaldo para ele, talvez, pedir mais recurso para o governo federal, para justificar as medidas que eles tomaram, para dizer, olha, se não tivesse tomado essa medida aqui no meu estado, a crise seria mais grave, mais gente teria morrido. Agora, nós sabemos que um óbito não pode ser lavrado dessa maneira”, declarou.

Ainda segundo o presidente, “a prática está sendo usada por política” para justificar “medidas equivocadas” que governadores e prefeitos tomaram na região.

No entanto, a história citada por Sikêra Junior e endossada por Bolsonaro foi desmentida pelo governo de Pernambuco, comandado por Paulo Câmara (PSB). Nas redes sociais, a Secretaria de Saúde afirmou que é falsa a informação de que um porteiro, um borracheiro ou um caminhoneiro morreu em um acidente e seu atestado de óbito registrou a causa como a covid-19.

“A postagem está sendo replicada em diversas redes sociais entre ontem e hoje, e tem como objetivo desacreditar o número de mortes pelo novo coronavírus no Brasil”, escreveu a pasta.

No Twitter, vários internautas haviam publicado mensagens como: “Gente! O primo do porteiro aqui do prédio morreu porque foi trocar o pneu do caminhão e o pneu estourou no rosto dele. Receberam o atestado de óbito como se fosse o covid-19. Eles estão indignados”.

Governo diz que atestado teve incorreção, mas não foi contabilizado

Nesta segunda-feira 30, o governo de Pernambuco esclareceu que, de fato, o homem não morreu pelo novo coronavírus, e que ainda assim o atestado de óbito do paciente cogitou a doença como uma possível causa.

Em nota, o governo de Pernambuco afirmou que, em 23 de março, o Hospital Maria Lucinda registrou a morte de um homem de 57 anos que estava internado naquela unidade havia dois dias. A declaração de óbito, assinada por uma médica que acompanhava o homem, registrava três possibilidades: síndrome respiratória aguda, covid-19 e pneumonia comunitária não-especificada. As informações foram repetidas no atestado.

Em seguida, a vigilância epidemiológica testou as amostras do homem e o resultado foi negativo para covid-19 e positivo para Influenza A. Após o resultado, a Secretaria de Saúde encaminhou cópia do exame que identificou a causa correta da morte. Ainda assim, o governo alega que o caso não chegou a ser contabilizado entre os índices de morte por coronavírus.

“Vale ressaltar que esse caso (homem de 57 anos, falecido no Hospital Maria Lucinda) nunca constou nas estatísticas de mortes por covid-19, divulgadas pela Secretaria Estadual de Saúde. Os óbitos pelo novo coronavírus não são contabilizados a partir de atestados, mas sim por testagem realizada pela Vigilância Epidemiológica do Estado”, afirma a pasta.

A Secretaria Estadual de Saúde escreveu que “lamenta a utilização do momento de dor de famílias que acabam de perder seus entes queridos com objetivos políticos”. Além disso, “recomenda à população que se informe através dos canais oficiais para não divulgar notícias falsas”.

View this post on Instagram

Nota oficial ⠀⠀⠀ No último dia 23 de março, o Hospital Maria Lucinda, registrou a morte de um homem de 57 anos que estava internado naquela unidade há dois dias. A declaração de óbito, assinada pela médica que acompanhou o paciente na unidade de saúde, colocou três possibilidades para a morte: síndrome respiratória aguda, Covid-19 e pneumonia comunitária não-especificada. Informações que foram repetidas no atestado de óbito. A vigilância epidemiológica testou as amostras do paciente e o resultado foi negativo para Covid-19 e positivo para Influenza A. ⠀⠀⠀ A Secretaria Estadual de Saúde notificou o Hospital sobre a incorreção no preenchimento da declaração de óbito e encaminhou cópia do exame que identificou a testagem positiva para Influenza A e negativa para Covid-19, do referido paciente. ⠀⠀⠀ Vale ressaltar que esse caso (homem de 57 anos, falecido no Hospital Maria Lucinda) nunca constou nas estatísticas de mortes por Covid-19, divulgadas pela Secretaria Estadual de Saúde. Os óbitos pelo novo Coronavírus não são contabilizados a partir de atestados, mas sim por testagem realizada pela Vigilância Epidemiológica do Estado. ⠀⠀⠀ Até o último boletim divulgado no domingo(29/03), os óbitos em Pernambuco eram de: homem de 79 anos e homem de 69 anos (ambos falecidos no Hospital Português), homem de 82 anos (falecido no Hospital dos Servidores), homem de 85 anos (falecido no Hospital Oswaldo Cruz) e mulher de 69 anos (falecida no Hospital São Marcos). ⠀⠀⠀ A Secretaria Estadual de Saúde lamenta a utilização do momento de dor de famílias que acabam de perder seus entes queridos com objetivos políticos. Além disso, recomenda à população que se informe através dos canais oficiais para não divulgar notícias falsas.

A post shared by Governo de Pernambuco (@governope) on

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem