Acompanhe a vacinação contra a Covid-19 no mundo

Veja quantas doses já foram aplicadas e qual é a taxa a cada 100 mil habitantes

Foto: Andres LARROVERE / AFP)

Foto: Andres LARROVERE / AFP)

Saúde

O Brasil finalmente passou a integrar, a partir de 17 de janeiro de 2021, o grupo de países que iniciaram as vacinações contra a Covid-19. Mônica Calazans, uma enfermeira de 54 anos da UTI do Hospital Emílio Ribas (SP), foi a primeira brasileira a receber o imunizante.

As primeiras doses ministradas no País foram do imunizante Coronavac, produzido pelo Instituto Butantan em São Paulo e pelo laboratório Sinovac Biotech, da China.

A vacinação ocorre após a aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária pelo uso emergencial da Coronavac e da Covishield, produzida pelo laboratório britânico AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford e que, no Brasil, tem a produção garantida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Falta, agora, a aprovação das vacinas em caráter definitivo para que os imunizantes sejam incorporados ao Programa Nacional de Imunização e distribuídos em larga escala em todo o Brasil, lembrando que, nos dois casos, a imunização completa é feita com duas doses de vacina.

Até o momento, apenas o imunizante da farmacêutica Pfizer conseguiu o registro definitivo perante a Anvisa. No entanto, ainda não há contrato fechado para que doses sejam administradas aos brasileiros.

No primeiro momento, os profissionais da área da saúde são os primeiros a serem vacinados, seguidos das maiores faixas etárias entre idosos. Veja mais informações sobre os outros grupos prioritários.

Os dados globais foram compilados pelo portal Our World in Data, que atualiza periodicamente informações sobre a pandemia de coronavírus.

 

Número de pessoas que receberam ao menos uma dose da vacina da Covid-19 

 

Número de pessoas completamente vacinadas (ou seja, com as duas doses) contra a Covid-19

 

Quantidade de doses da vacina da Covid-19 a cada 100 mil habitantes

 

*Matéria atualizada em 24 de fevereiro de 2021

 

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

É repórter do site de CartaCapital.

Compartilhar postagem